domingo, 26 de junho de 2011

Servindo a Deus com um Cafezinho








Estou aprendendo a dar ouvido à Palavra de Deus e não ao que o mundo diz.

A pia estava lotada de vasilhas, que durante o dia foi sendo usada, pois num feriadão, todos em casa, sem nada pra fazer, belisca-se uma coisa aqui e outra ali. Assim, vi que se eu não eliminasse as louças da pia, ninguém mais faria este serviço. Cada um na sua, fazendo o que tinha vontade, menos eu, pois fui fazer aquilo que não tinha nem um pouco de vontade de fazer naquele momento.

Enquanto estava em pé na frente da pia lavando as louças pensava: porque tem que ser EU a parar com as atividades que me trazem prazer e fazer o que não quero fazer e não meu marido? Ele também viu que a pia estava lotada de louças, mas não mexeu nem um dedo para eliminá-las. Se eu não fosse para a pia, as louças continuariam ali. Enquanto eu estava remoendo este pensamento, meu marido grita da sala: - Bem, faz um cafezinho pra gente!

Ai, confesso que quase tive um piripaque. Imagina só: além dele não se incomodar com as louças sujas, e nem de reconhecer meu esforço em deixar a casa limpa e organizada para o bem estar de toda a família, ainda queria mais, queria que eu fizesse um "cafezinho". É piada, né?

Então uma vozinha aqui dentro falou. - Num faz café nenhum, afinal se ele quiser que venha fazer ou que venha te ajudar nas louças. Porque tem que ser você a fazer tudo? Ele também tem que ajudar. E a divisão de tarefas, igualdade sexual, etc, etc,? Quando ele pedir novamente, você não deixa por menos. Fale tudo o que tem vontade de falar, quebra o pau mesmo. Ele tem que aprender que também tem que ajudar. Se quiser ficar com raiva que fique mas pelo menos você falou tudo o que te incomodava.

E uma outra vozinha falou: é assim que uma serva do Senhor tem que agir? o que diz a Escritura sobre servir aos outros? "servindo uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus." I Pedro 4:10.

Deus me deu um dom: uma família, marido, filho, casa, e Sua graça. Qual minha atitude então? de acordo com o versículo citado, tenho que ser boa despenseira da graça de Deus. Devo servir, de acordo com o dom dado a mim por Deus, com boas atitudes, demonstrando a graça de Deus.

E sobre este? "se qualquer te obrigar a caminhar mil passos, vai com ele dois mil." Mateus 5:41.


É lógico que meu marido num tava me obrigando a fazer café. Ele estava me pedindo educadamente. Mas a Palavra diz que se eu fosse obrigada, que fizesse a mais do que aquilo que estava sendo obrigada a fazer. Eu já estava lavando as louças, então agora eu ainda tinha que fazer café.

A primeira voz era a do mundo, me colocando em evidência. Falando que eu era a atriz principal, a soberana, aquela que todos tinham que estar a meus pés. Eu não estava sendo servida, mas servindo, então não estava bom. O quadro tinha que mudar. Era por isso que eu estava com raiva.

A segunda voz era a de Deus, dizendo que "... vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim;...". Gálatas 2:20. Colocando em evidência Cristo, o Filho de Deus, que veio ao mundo para servir e não para ser servido (Mateus 20:28). Falando que Ele é o ator principal, o Deus soberano, aquele digno de toda honra e toda glória. Eu já morri, é Cristo que vive e se manifesta em mim e através de mim.

E como todo bom servo faz em relação ao seu Senhor, obedeci. Fiz o cafezinho, depois de deixar a pia brilhando. Servi a meu Senhor Jesus Cristo e de quebra agradei também ao meu marido e a mim.

Tivemos uma noite tranquila, em paz, sem discussão e sem atrito. Com a certeza de que servi a Deus com um simples cafezinho.

sábado, 18 de junho de 2011

Dia 28 - Alimente-se corretamente, beba água e descanse










O ativismo pode tomar conta da gente. Na verdade, se não nos policiarmos outros tomam: nossos filhos, maridos, pais, irmãos, profissão e serviço doméstico podem nos sugar a energia. Então, é necessário recarregarmos nossa bateria. Boa noite de sono pode não ser suficiente. Temos que cuidar também da nossa alimentação, saúde e espírito.




Pra dizer a verdade, ultimamente não tenho levado isso a sério, e estou sentindo o corpo reclamar. Sei que também tenho que lembrar de mim. É tão fácil me encher de tarefas e no final do dia eu me sentir esgotada, sem vontade para nada.




Tenho colocado na minha rotina o descanso após 45 minutos a cada hora. Assim deito e coloco minhas perninhas pra cima, pego o livro que estou lendo no mês e vou colocando em dia, ou dou um telefonema, coisas assim. Últimamente, não tenho feito exercícios físicos, mas já está na minha agenda e brevemente retornarei. Quanto à alimentação, está de mal a pior, tem dias que chego do trabalho e engulo a comida, em pé mesmo pra adiantar a agenda lotada.



Então, analisando o vigésimo oitavo dia Fly posso dizer que ele é essencial para a rotina não ser prejudicada com nosso mal humor ou nossa saúde debilitada. Tenho que tomar consciência de que sou importante e que tenho que cuidar mais de mim.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Criando Filhos- Escolha







Continuação do post anteiror...
Não foi muito difícil esta escolha, pois só existem dois: os princípios bíblicos e os não bíblicos, ou do mundo. Para realizar uma escolha é necessário analisar os prós e os contra de cada um. Se optássemos pelos princípios do mundo teríamos uma infinidade de opiniões. Pois o mundo tem muita oferta. Teríamos que fazer uma grande triagem. Tem opções para todos os gostos, pois de acordo com a oferta do mundo, quem manda sou eu, o freguês. Então nos depararíamos com um grande catálogo de princípios educativos que nos trariam dúvidas, pois os valores são alterados a cada década ou a cada geração. Aquilo que era há 10 anos atrás, agora é ultrapassado, fora de moda e portanto sem valor. O que ensinassemos hoje para nossa filha poderia não servir daqui há 10 anos, ou bem menos. O lado "positivo" é que facilmente encontramos material de ensinamentos a respeito deste princípio: basta ligar o televisor e ouvir debates de psicólogos, pedagógos e até de apresentadores de auditório, novelas, livros ou ir até a banca de revista mais próxima e adquirir um exemplar de qualquer revista feminina ou direcionada para educação de pais e filhos. Querendo algo mais culto ou científico, é só se dirigir a uma universidade qualquer e analisar alguns trabalhos acadêmicos que nos dão base científica para educação, até que outro trabalho acadêmico de outro estudioso do mesmo assunto, discorde e desmascare os argumentos do primeiro.



Decidimos então abraçar os princípios bíblicos pois no meu entender, a palavra de Deus é invariável, ou seja, uma educação baseada na palavra de Deus, não muda. Tenho a certeza de que o que ensino a minha filha foi ensinado pelos meus avós e poderá ser ensinado aos meus netos. Quando você adota outros principios, corre o grande risco de haver alteração nos valores: hoje serve, amanhã não, pois foram ultrapassados. Então a pessoa fica como que folha jogada ao vento: de um lado para o outro, indo de acordo com o "Psicólogo" do momento. Mas os princípios bíblicos são eternos: Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar. Lucas 21:33.
Um outro fator que nos ajudou na decisão foi: "... a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração." (Hb 4:12). Um outro fator que nos ajudou na nossa decisão é de que: Ou seja se é viva, é porque não morre (observe que o verbo está no presente:é viva), não pode ser ultrapassada por nada de "novo".







A Palavra de Deus serve para TUDO o que o educador necessita para instrução. Tem-se um grave erro em achar que a Palavra de Deus é válida somente para assuntos religiosos. Mas tudo e qualquer coisa pode ser encontrado em um só lugar. Ou seja não preciso de vários livros ou correr para vários lugares para procurar direcionamento em relação a um determinado assunto que tenho dúvida quanto à criação de minha filha, pois na Bíblia encontro tudo sem contradições, pois " Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. " (2 Tm 3:16-17). Tenho aqui então a certeza de que assim meus objetivos serão atingidos.

Sendo assim, toda a Escritura, não apenas uma parte dela, mas toda ela é inspirada por Deus e útil, serve para o ensino. Quando preciso ensinar alguma coisa que minha filha ainda não sabe; Serve para repreensão: posso mostrar a ela o porque a estou repreendendo; também é através da Escritura que posso corrigir minha filha quando ela faz alguma coisa errada, ou seja, baseada em que? o que diz a Escritura sobre este erro? É também na Escritura que posso basear a educação de minha filha com justiça. Não terei dúvida se estou fazendo o certo ou não. Mas porque usar a Escritura para a educação. O texto fala: para que o indivíduo seja perfeito, pronto, habilitado para realizar toda boa obra, fazer coisas boas.(2 Tm 3:16-17). É isso que eu quero pra ela: habilidade para realizar toda boa obra.

O lado "negativo" é que para adotar este tipo de princípio de educação, o bíblico, você não manda em nada. Tudo vem de Deus. Muitas vezes sua vontade é outra, mas por opção, não por obrigação, você se anula pra fazer a vontade do Pai/Deus. Diferentemente dos princípos de educação do mundo, onde você é o centro de tudo. No princípio bíblico Deus é o centro de tudo. Aliás como ouvi um dia desses, Deus É o centro. Você, juntamente com suas vontades, morre para o mundo. Passa a aceitar somente aquilo que vem diretamente do Criador. Pensando bem, o lado "negativo" bem que é positivo né? Afinal, pela própria palavra de Deus, ... Mais importa obedecer a Deus do que aos homens(mundo). Atos 5:29. (mundo) foi eu que coloquei, num tem isso na Palavra não, é
interpretação minha.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Criando Filhos II




(Continuação do post anterior)
A primeira coisa que compreendi é que o ensinamento teório tem que vir junto com a prática: aos domingos, teoria, e no resto da semana o ensino é prático e laboratorial, ou seja ela usa tudo o que aprende (prática) e observa se também colocamos em prática diária aquilo que ensinamos de acordo com a Palavra de Deus (laboratório). Em Deuteronômio 6: 7 diz que cabe a mim, mãe, ensinar minha filha a Palavra de Deus. E diz ainda como devo ensiná-la (E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te).

Percebi então que é necessário escolher um princípio de formação para direcionamento da educação. É simples. Para tudo temos que ter um plano básico, até mesmo para a criação/educação dos filhos. Isto é necessário para que nós, pais, tenhamos uma direção na educação dos filhos e não fiquemos perdidos na hora de educá-los, na hora de corrigir ou intruí-los. Como todo plano, é necessário que tenhamos em mente o objetivo final, ou seja, se estamos falando de criação de filhos, que fique claro que tipo de adulto queremos formar. Afinal é isso o que eles se tornarão.

São os príncipios de criação escolhidos pelos pais, que formarão o carácter dos nossos filhos. Sabe aquela história de plantar laranja e colher maçã? impossível né? A gente colhe aquilo que planta.

Sendo assim, depois de definirmos o objetivo que queremos atingir, que é: formar em Gabriela um caráter perfeito, com habilidade para realizar tudo que seja bom. Desejo este, nada diferente da maioria dos pais que verdadeiramente amam seus filhos: queremos o melhor para eles.


Então passamos para o próximo passo: optar na escolha de princípio de formação de educação que nos garante alcançar nosso objetivo.

(continua no próximo post)




Você pode gostar disso também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...