sexta-feira, 29 de abril de 2011

Desfeminilização, Igreja e Família






O segundo fator é o silêncio e a passividade da igreja. A feminização da família tem ocorrido em grande medida porque a igreja foi quase totalmente silenciosa sobre o assunto. A igreja não cumpriu o ataque do feminismo na cabeça com a espada da Palavra de Deus. Pelo contrário, vergonhosamente, a igreja recuou no ataque feminista, e já comprou muitas idéias do feminismo. A igreja tem sido culpada de ensinar coisas como o casamento igualitário, "planejamento familiar", e de apoiar a idéia de uma mulher de carreira e trabalho materno. Grande parte da culpa deve ser colocada nos pés dos pastores e presbíteros que foram enganados ou com muito medo de pregar ou defender a verdade sobre a família que Deus tem revelado em Sua Santa Palavra. As feministas têm tido sucesso em alterar a família, porque a igreja falhou em viver e ensinar a doutrina bíblica positiva da família e não respondeu as mentiras das feministas.


Qual deve ser a nossa resposta, como cristãos, para a feminização da família? Nossa resposta começa com o reconhecimento de que isso tenha acontecido. A negação não nos fará bem algum. Então, devemos assumir a tarefa de desfeminização da família e a recristianização da família. Esta tarefa é o trabalho de cada cristão de cada família, mas é principalmente o trabalho dos maridos e pais cristãos, que foram designados por Deus como líderes da casa. Homens devem levar por preceito e exemplo para erradicar todos os aspectos da influência feminista da vida e da estrutura de sua família e restaurá-la a um padrão bíblico. Os homens devem provar que são homens e colocar nos ombros toda a carga de responsabilidade dada a eles por Deus. Os homens devem deixar de ser intimidado pela retórica feminista e radicais e sem medo de promover a ordem de Deus para a família.


A tarefa de reconstruir a família, segundo a Palavra de Deus também vai exigir da igreja o cumprimento fiel dos ensinamemtps do que a Bíblia diz sobre a família, e, em muitos casos, alterar a estrutura da sua igreja e ministério (que também foram feminizadas) para apoiar a família ao invés de enfraquecê-la. Exigirá dos pastores e presbíteros respeito à instituição da aliança da família. Exigirá que pastores e presbíteros, que são um exemplo para o rebanho, desfeminição de suas próprias casas. E vai levar professores e pregadores com a coragem e a convicção de John Knox e João Calvino para expor as mentiras venenosas do dogma feminista e para declarar e defender o padrão bíblico para a família do púlpito.

domingo, 24 de abril de 2011

dia 26 - Leia Atentamente os E-mails










Nada mais é que um insentivo para mantermos nosso novo hábito: organização doméstica. Com o tempo, podemos desistir ou aprimorarmos neste hábito. Se andamos com pessoas que nos insentivam e que nos apoiam, é bem provável que aconteça o segundo caso.

Não dê ouvidos às pessoas que querem puxar seu tapete. Pessoas que vêem seu progresso e fazem de conta que não viu. Pessoas que não dão valor àquilo que você está construindo e modificando pra melhor.

Desde 2008, quando conheci o sistema FLY de organização, tenho conseguido colocá-lo em prática e foi muito bom. Um pouquinho todo dia, sem pressão, sem neura. Deu pra fazer, faço; Não deu, deixo pra outro dia. E assim vou levando.

Vi que foi muito bom. Eu tenho, desde então, conseguindo cuidar da minha casa sem ajuda de ninguém. É lógico que passei por momentos de dificuldades e desânimos, mas que não me abateram ao ponto de me fazer desistir.

Bons hábitos têm que ser mantidos. A constância de nossas atitudes é que vão fortalecer nossos hábitos.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Feminismo e os Homens Cristãos - Qual sua atitude?

Feminismo e os Homens Cristão- Qual sua atitude?

Sexta, a idéia de que uma família grande é uma "bênção" é rejeitada por noção de que uma família pequena de um ou dois filhos (e para alguns, sem filhos)é muito melhor. O conceito de "planejamento familiar" voltadas para reduzir o número de crianças em casa é defendida por praticamente todos. O ensino bíblico de que uma grande família é devido à bênção de Deus e soberania (Sl 127, 128) é desprezado pelas famílias modernas, mesmo aqueles que afirmam ser cristãs. A visão feminista de que nós determinamos o número de filhos que teremos, que somos soberanos sobre essas questões, agora é aceito sem perguntas. Naturalmente, esta suposta soberania sobre a vida e o nascimento leva a uma justificação do aborto, o melhor controle da natalidade.

Sim, a feminização da família tem tido lugar no Ocidente! O conceito cristão da família tem sido substituído pela idéia feminista da família: divórcio fácil substituiu uma visão da aliança de casamento; igualitarismo substituiu liderança masculina, o homem e a mulher como prestadores de articulação, tem substituído o homem como provedor, a mulher e mãe que trabalha fora de casa substituiu a mulher como dona da casa, a mãe como um empregado tem substituído a mãe como educadora dos seus filhos, "planejamento familiar" e "controle da natalidade" substituiu a família com filhos.


Dois fatores têm contribuído grandemente para o sucesso das feministas em derrubar a estrutura familiar e a prática que é baseada na Bíblia. O primeiro fator é a covardia dos homens, sim, até mesmo os homens cristãos. Até certo ponto é compreensível (embora ainda vergonhoso) que homens não-cristãos têm acuados diante das feministas, e os seus ataques em cima delas e da família tradicional. Mas que os homens cristãos que têm a verdade da Palavra de Deus, também acovardou, é um fato para arrependimento. Deus chamou homens para defender a sua verdade no mundo e viver para fora de seus preceitos. No entanto, um olhar para a casa do cristão evangélico revela que ela também tem sido feminizadas, em grande medida. As feministas radicais, que odeiam a Cristo transformaram nossas casas, e os homens cristãos, de um padrão familiar biblico. Além disso, os maridos e pais cristãos, também têm demonstrado covardia em sua incapacidade de responsabilizar-se com o que Deus lhes deu. Eles têm sido dispostos a dividir a carga total de liderar e sustentar as suas famílias, têm sido mais do que felizes em compartilhar (ou descarregar) seus encargos sobre sua esposa. A família foi feminizado porque os homens cristãos se retiraram de seu dever.

O Feminismo e os Homens Cristãos - Qual sua atitude?





Sexta, a idéia de que uma família grande é uma "bênção" é rejeitada por noção de que uma família pequena de um ou dois filhos (e para alguns, sem filhos)é muito melhor. O conceito de "planejamento familiar" voltadas para reduzir o número de crianças em casa é defendida por praticamente todos. O ensino bíblico de que uma grande família é devido à bênção de Deus e soberania (Sl 127, 128) é desprezado pelas famílias modernas, mesmo aqueles que afirmam ser cristãs. A visão feminista de que nós determinamos o número de filhos que teremos, que somos soberanos sobre essas questões, agora é aceito sem perguntas. Naturalmente, esta suposta soberania sobre a vida e o nascimento leva a uma justificação do aborto, o melhor controle da natalidade.


Sim, a feminização da família tem tido lugar no Ocidente! O conceito cristão da família tem sido substituído pela idéia feminista da família: divórcio fácil substituiu uma visão da aliança de casamento; igualitarismo substituiu liderança masculina, o homem e a mulher como prestadores de articulação, tem substituído o homem como provedor, a mulher e mãe que trabalha fora de casa substituiu a mulher como dona da casa, a mãe como um empregado tem substituído a mãe como educadora dos seus filhos, "planejamento familiar" e "controle da natalidade" substituiu a família com filhos.


Dois fatores têm contribuído grandemente para o sucesso das feministas em derrubar a estrutura familiar e a prática que é baseada na Bíblia. O primeiro fator é a covardia dos homens, sim, até mesmo os homens cristãos. Até certo ponto é compreensível (embora ainda vergonhoso) que homens não-cristãos têm acuados diante das feministas, e os seus ataques em cima delas e da família tradicional. Mas que os homens cristãos que têm a verdade da Palavra de Deus, também acovardou, é um fato para arrependimento. Deus chamou homens para defender a sua verdade no mundo e viver para fora de seus preceitos. No entanto, um olhar para a casa do cristão evangélico revela que ela também tem sido feminizadas, em grande medida. As feministas radicais, que odeiam a Cristo transformaram nossas casas, e os homens cristãos, de um padrão familiar biblico. Além disso, os maridos e pais cristãos, também têm demonstrado covardia em sua incapacidade de responsabilizar-se com o que Deus lhes deu. Eles têm sido dispostos a dividir a carga total de liderar e sustentar as suas famílias, têm sido mais do que felizes em compartilhar (ou descarregar) seus encargos sobre sua esposa. A família foi feminizada porque os homens cristãos se retraíram perante seu dever.

Estudo tirado deste site: http://www.visionforumministries.org/issues/family/the_feminization_of_the_family.aspx Continuo em próximo post

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Dia 25 - Aprenda como as Rotinas Vão se Desenvolvendo

Quando falamos em rotina vem imediatamente em nossa mente um sentimento negativo. Aprendemos que a rotina não é bom. Alguém que algum dia não foi feliz com ela saiu propagando que é a rotina o mal de todas as coisas. E o que é pior, esta pessoa conseguiu adeptos no mundo todo. Acontece que sem rotina, o que temos então? insegurança? surpresas? mas as surpresas todos os dias não é rotina? e insegurança? quem gosta de viver na corda bamba?


O maior medo dos recém casados é a rotina. Mesmo antes dela se instalar, eles já têm medo dela. Lemos nas revistas femininas: "não deixe a rotina se instalar no seu casamento." A verdade não é o que dizem mas o que vemos no dia a dia. Conheço casais casados há mais de 60 anos que têm rotinas, e casais que, com medo dela, tentaram "criar" meios de afugentar a rotina no seu casamento e, o que conseguiram foi o divórcio.


É a rotina que te dá condições de uma vez ou outra sair dela. Por exemplo: se você tem a rotina de arrumar sua casa todos os dias, não há problema algum se um ou outro dia deixar sua casa de lado e cuidar de outras coisas, viajar, fazer alguma coisa diferente, pois seu serviço doméstico não se acumula, apenas está te aguardando, até que você possa voltar para sua rotina.


Agora, como se adaptar à rotina? Resposta: disciplina. Ela é a chave de tudo. Essa palavra é muito usada no meio militar, e talvez, devido ao nosso passado político militar, que nos trouxe muita repressão, temos a tendência de evitar tudo que nos trás recordação desta época. Mas e o que é a disciplina então? é a consciência de ter que fazer, não porque queremos, gostamos ou temos vontade, mas porque precisamos. Porque sabemos que é necessário para o nosso próprio bem ou o bem de outro.


Então é assim que se cria uma rotina de arrumação e organização da casa. Tenha a consciência de que é necessário. Não espere ter vontade de realizar uma tarefa, pois ela não vem. Entre limpar ou arrumar a casa e uma saidinha ao shopping, vamos preferir o que nos agrada, o que nos dá prazer.



Não tenha medo da rotina, ela não é um Bicho Papão. Pode ser a solução.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Feminismo,Carreira e Maternidade


- Continuação: Ataques Feministas à Família ...


Terceiro, o homem como
provedor tem sido rejeitado por um novo modelo de responsabilidade econômica comum. A visão do nosso tempo é que o homem não é mais responsável do que a mulher para suprir as necessidades financeiras da família. As feministas acreditam que o ensino bíblico onde o homem é o provedor da família (1 Tm. 5:9) é parte de uma conspiração do sexo masculino para prender as mulheres, tornando-as dependentes economicamente dos homens.


Em quarto lugar, a mulher como uma dona de casa em tempo integral é desprezada, e da mulher trabalhadora, que procura satisfação e independência no trabalho fora de sua casa é agora uma norma cultural. O mandamento bíblico de que a mulher fique em casa" (Tito 2:4-5) é desconhecido ou ignorado. As pessoas de mentalidade feminista consideram ser uma coisa humilhante para uma mulher ficar em casa e limitar o seu trabalho para a esfera de sua casa e sua família. Uma carreira é considerada mais apropriada e significativa para a mulher de hoje do que ser mãe.



Em quinto lugar, a norma bíblica de uma mulher como educadora dos filhos, foi substituída pelo ideal feminista de uma mãe trabalhadora que coloca seus filhos na "creche" para que ela possa exercer outras questões importantes. A responsabilidade da maternidade é vista em termos muito diferentes do que era no passado. O chamado bíblico para a mãe para ficar com os filhos, amar, treinar, ensinar e protegê-los (1 Tm;. 02:15 5:14) é rejeitado pela visão feminista da mulher que é liberada a partir de tais constrangimentos sobre sua individualidade e auto-realização.



Estudo tirado deste site: http://www.visionforumministries.org/issues/family/the_feminization_of_the_family.aspx Continuo em próximo post.

Você pode gostar disso também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...