sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Descortinando meu Coração

Nenhum casamento chega ao fim sem antes percorrer um caminho de brigas e desentendimentos por mínimas coisas. Já viu um casal discutindo por coisas idiotas e chegarem ao limite simplesmente por falta de sabedoria ou orgulho? O foco da discussão muda: interessante não é a questão que motivou a briga, mas agora é de provar quem está certo e quem está errado. Somente, quando um dos dois abre espaço para o Senhor abrir a cortina revelando e mudando o que está no interior de nosso coração, é que Ele pode mudar a situação.

 Dias desses atrás queríamos trocar as cortinas em nossa casa. Decidimos então colocar varão em todas, pois achamos que é mais prático e fácil de retirar as cortinas pra lavar. Eu me preocuparia com o tamanho e cor, e meu marino com a instalação delas. Muito bem dividido, pois eu não me sinto bem com uma furadeira na mão, kkkkkkk.
Partimos então para a parte prática da questão, comecei a estudar combinação de cores e tamanhos, correr de loja em loja, essas coisas, neam. Um dia, passando por uma loja, encontrei um varão da cor e espessura desejadas. Como o preço estava bom, comprei.
Cheguei em casa toda exultante, afinal, uma etapa do trabalho do meu marido EU tinha feito: comprei o varão pra ele. Mas qual não foi minha surpresa quando ele nem ao menos olhou para a minha compra, apenas passou o olhar e comentou que não era aquele tipo, o que eu comprei não iria dar certo, blá, blá, blá...
Tentei diversas vezes argumentar que ele estava enganado, que EU tinha comprado o produto certo e coisa e tal, mas que nada, cada vez que EU tentava tocar no assunto ele cortava dizendo que EU estava errada e que não queria mais falar sobre o assunto e que EU deveria voltar à loja para trocar a compra por outro produto, blá, blá, blá....
Ele não me escutou! EU queria dizer para ele que EU estava CERTA, que ELE estava ERRADO, lógico! Que EU analisei o produto antes de comprar, mas e ele não queria nem me ouvir!
Gente, uma coisa boba, uma coisa rotineira: uma simples troca de cortina agora tinha todas as chances de se tornar um bate-boca, uma briga para provar um para o outro quem estava certo: EU ou ELE. A questão agora não era mais o varão da cortina, mas em mostrar para o outro quem tinha a razão. É lógico que eu ia provar que estava certa e ele provar que o certo era ele. Argumentos lógicos de todos os lados é que não faltavam.
Se fosse há alguns anos atrás, quando EU era senhora do meu nariz, essa queda de braço ia longe, mas como agora sou uma boa serva do Senhor, neam, corri pro quarto e comecei a conversar com meu Deus. Falei pra Ele que eu estava certa, que eu tinha comprado o produto certo. Que meu marido não deixava eu falar mais no assunto. Que não tinha necessidade de fazer a troca da compra, pois eu não tinha comprado nada errado. Eu queria penas que ele ficasse quietinho, sentado, ouvindo-me enquanto eu explicava pra ele como instalar a cortina. Só isso! Era muito? Lógico que não! Era só ele me ouvir quietinho e todos os problemas estariam resolvidos!
Ai, como sempre, vem o Espírito Santo, que habita em mim (Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? 1 Coríntios 6:19) falar, coisas ilógicas e sem nexo (pra mim): “porque você não faz o contrário? ao invés de seu marido te ouvir calado, quietinho, fica você calada, quietinha ouvindo ele falar?” Claro que não aceitei isto facilmente, afinal quem já tinha entendido o funcionamento do negócio? Eu. Ele nem viu ou pegou em suas mãos o que eu tinha comprado, pra decidir a questão! Imagina se eu ia dar a “honra da palavra” pra ele? Mas o Espírito foi enfático: “deixa ele falar, apenas escuta”.
Gente, confesso que sem acreditar que ia ter algum resultado, lá fui eu. Chamei meu marido e pedi: - Por favor, me explica porque você diz que este varão não vai dar certo, pois, eu não estou entendendo o que você esta querendo dizer.
Sem falar absolutamente mais nada, sentei e fiquei esperando por sua explicação. Ele, com aquele ar de: “eu sei tudo, e vou te explicar”, pegou o varão em suas mãos (pela primeira vez) e no meio da “explicação” constatou que eu estava certa, de que daria certo se usássemos aquele, que eu não tinha errado na compra, que não precisaria trocar, que ficaria bom, e que até poderia comprar outros para instalar cortinas em outros cômodos da casa, blá, blá, blá....
Gentem, eu fiquei pasma, uns 5 minutos de boca aberta, sem entender o que tinha acontecido. Parecia mágica, encantamento, sei lá o quê. Passei o fim de semana todo, tentando dizer para ele tudo o que ele me disse. Eu não falei nada, apenas deixei que ele falasse, e ele falou justamente o que eu queria ter dito por diversas vezes e não consegui. Problema resolvido. Não teve briga, discussão, e o varão tá lá instalado bonitinho, sem problema algum. Vá entender as lógicas ilógicas de Deus!

Pois bem, o problema do varão da cortina estava resolvido, mas eu ainda estava cheia de dúvidas em relação ao modo como a questão foi resolvida, que deveriam ser esclarecidas pelo Senhor, por exemplo: porque deixar meu marido falar e eu ouvir se era eu que estava tentando falar com ele e não conseguia? Porque o Espírito Santo mandou eu falar a meu marido que eu não entendia o que ele estava querendo me dizer, se eu já tinha entendido o funcionamento do negócio?
Foi então que o Espírito Santo revelou a mim, fatos neste episódio, a partir do momento que as cortinas do meu coração foram abertas revelando os pecados do meu coração que me cegavam os olhos espirituais impedindo-me de ver o obvio:
 1º) Eu não estava sendo uma esposa submissa: De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos. Efésios 5:24: eu passei na frente das decisões de meu marido. Eu fiz a compra sem falar com ele. Cheguei em casa com a questão resolvida;
2º) Inverti os papéis: Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, ... Efésios 5:23 : sei que os homens não gostam de serem ensinados, mas de ensinarem. Eles se sentem mais confortáveis tendo o controle da situação e, neste caso, era eu quem estava na posição de comando, era eu que queria ensiná-lo como instalar a cortina. Eu não estava sendo sábia em deixar meu esposo liderar nosso lar;

Assim, minhas perguntas foram respondidas quando me foi revelado que eu não menti quando disse que não estava entendendo o que meu marido queria me dizer, pois eu não deixava ele falar. Meu egoísmo não deixava ver que ele queria me dizer algo e eu não o deixava falar. Eu achava que EU é que queria falar e não conseguia ser ouvida. Conclui que ELE é que não conseguia conversar comigo, porque eu imediatamente entrava com argumentos de que eu sabia e ele não, então isto o deixava numa situação de líder dominado pelo liderado. Ele se sentia encurralado, então cortava o assunto, saia me deixando falar sozinha, ou me ordenando que não tocasse mais no assunto.
Não digo que neste acontecimento meu marido não cometeu falhas e somente eu, mas a palavra do senhor diz: Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados. 2 Coríntios 13:5 , portanto, o que relato aqui foi o meu examinar, deixei que o Senhor trabalhasse no coração de meu marido revelando e tratando seus erros.
  
Confesso que sozinha eu não chegaria nunca a estas conclusões. O Espírito Santo de Deus abriu meus olhos a pequenos detalhes de um episódio banal que se não fosse direcionado pelo Senhor, poderia ter tomado outros rumos: brigas, ofensas e amarguras que fragilizariam nosso relacionamento.
No entanto, Deus fez meu relacionamento conjugal crescer, revelando-me uma situação estranha a princípio, mas que somente com a sua Graça e misericórdia poderia ter o fim que teve. O Senhor fez um trabalho completo: mexeu na decoração de nossa casa, no meu coração, e em nosso relacionamento conjugal.
Quando lemos que a mulher sábia edifica sua casa (Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos. Provérbios 14:1 ), não é aquela mulher inteligente, que faz tudo sozinha, que domina toda a situação, mas é aquela que obedece as orientações do Senhor. É sábia com a sabedoria que vem dEle, pois o princípio da sabedoria é o temor do Senhor (O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência. Provérbios 9:10)
Amiga, não seja tola destruindo seu lar com suas mãos, fazendo o que você acha que está certo, mas seja sábia, peça a Deus sabedoria para agir conforme Ele deseja que você faça. Da soberba só provém a contenda, mas com os que se aconselham se acha a sabedoria. Provérbios 13:10

Você pode gostar disso também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...