Meu Testemunho



Você é muito importante por estar aqui. Vou falar um pouquinho de minha vida, o que Jesus Cristo fez e está fazendo em meu coração. Meu nome é Regi. Eu sou uma crente em Jesus Cristo, e por Ele fui regenerada. Nasci em um lar cristão. A Palavra de Deus para mim não é novidade. Na minha família temos muitos pastores, esposas de pastores e missionários. Inclusive tem um muito famoso, que tem concessão de um canal de TV e prega o evangelho de Cristo todas as noite que é primo primeiro de minha mãe. Então, eu achava que "nasci" crente. Sabe aquele ditado: filho de peixe, peixinho é? Era assim que eu me sentia. Nem me lembro a primeira vez que fui levada à igreja, pois desde muito pequena já frequentava os cultos com meus pais. Eu não tinha outro mundo. Eu achava que se meus pais e minha família eram "crentes" eu também era.

Na adolescência quando me perguntavam porquê eu era crente, eu dava a resposta mais imbecil possível: - Porque meus pais são crentes, eu nasci crente! (kkkkk) Hoje, rio pra não chorar, desta resposta tão sem-pé-nem-cabeça. Na verdade eu falava isso porque nem eu sabia porquê eu era crente. Crente em quê ou quem quem? Em Jesus? Aquele da bíblia que o pastor falava tanto nos cultos do domingo? Que coisa mais chata!

Com o passar do tempo, como eu já sabia o caminho da igreja, eu já não era levada mais pelos meus pais, pois eu mesma ia sozinha. Não por causa de minha comunhão com Cristo, mas porque lá eu tinha muitas amizades, colegas e amigos que cresceram comigo e juntos tinhamos afinidades. Nesta altura de minha vida eu já estava satisfeita com Deus. Já tinha aceitado Ele em meu coração, dado minha profissão pública de Fé, aceitado Jesus Cristo como meu Salvador, batizado nas águas, como todos na minha família já esperavam, ganhado a vida eterna e agora só esperando a morte pra ir morar com Ele no céu. Trabalho concluído. Tchau!

O tempo foi passando e meu horizonte foi se abrindo. Comecei a ver que meu mundinho poderia ser bem maior e mais interessante do que banco de igreja.

Mas e enquanto a morte não vem? E durante meu período de vida aqui na terra? Como é que ia ser? Ia continuar a ouvir aquele lenga-lenga na igreja? Aquelas historinhas pra boi dormir? Me poupe, né?



"Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos!" Isaías 5:21
Passei a levar a vida de acordo com meus próprios olhos. Não roubei, não matei, não usei drogas nem me prostituí. Levava uma vida "certinha". Era bem comportada. Estudava, trabalhava, saia com minhas amigas (todas bem comportadas também). Então, ao meu entender eu não precisava de Deus. Deus era para aqueles que andavam nos maus caminhos, que faziam coisas erradas. Essas pessoas, sim, tinham do que se arrepender. Mas e eu? Me arrepender do quê? Era boa pagadora, não devia nada a ninguém, boa amiga, boa filha (mais ou menos, né mãe?kkk) Ninguém tinha nada do que reclamar de mim, então eu precisava de Deus pra quê. Do que eu tinha que me "converter"? Sinceramente eu não precisava de Deus (kkkkk), mais uma vez rio para não chorar de minha "burrice" espiritual. Nem me dei conta de que eu NECESSITAVA de Deus porque "... todos pecaram e separados estão da glória de Deus" Romanos 3:23. Eu estava inclusa neste todos e achava que não.

Eu achava que, já que eu era "boazinha" não precisava de Deus. Esqueci que independentemente do que eu faça ou deixe de fazer SEMPRE vou precisar de Deus e de sua misericórdia, porque já nasci pecadora (separada de Deus), só de ser quem eu sou já necessito do perdão de Deus.

Fui tocando minha vidinha como todos os mortais. Dançava conforme a música do momento. Era jogada como folha seca ao vento. Tinha minhas opiniões de acordo com a mídia, livros que lia, bate papo com amigos, etc. Me achava! Eu era super informada, tipo cabeça feita, feminista quase doente, e cheguei a pensar que foi tempo perdido ficar nessa de biblinha na mão, ouvindo lendas que um dia alguém resolveu escrever e uns idiotas resolveram acreditar.

Eu era idólatra. Fiz um deus para mim. EU. Eu era adoradora do meu próprio EU. Não enxergava nada que não fosse através de minha lente. EU era o paradigma. EU era o modelo. Se não fosse de acordo com o que EU queria ou como EU achasse que deveria ser, não estava bom.

Passei por muitas decepções, vitórias, derrotas, alegrias e sofrimentos que me levaram a acreditar que a vida não tinha sentido algum. Pra quê viver se no fim todo mundo vai morrer mesmo? Era o que eu pensava. Não entendia que era o Senhor trabalhando em meu coração para que eu me voltasse a Ele. Eu vivia por viver.




"Lembra-te de quão breves são os meus dias...;" Salmos 89:47.

Até que em um dia normal como outro qualquer, num final de tarde chegando em casa, depois do trabalho, um carro em alta velocidade com um bêbado ao volante me atingiu em cheio. Fui jogada nas alturas e cai novamente em cima deste mesmo carro, rolei pelo capû e fui parar estatelada no chão. Por incrível que pareça: um acidente que era para eu ter morrido na hora, eu estava viva, consciente e sem nenhum osso quebrado. Amigos e parentes que viram tudo testificam que foi um milagre. Esse episódio aconteceu em frente à loja do meu irmão, Marcelo, e justamente neste momento estavam todos do lado de fora para fecharem a loja e viram o acidente. Na hora não sabiam quem era, depois quando juntou aquele povo todo é que viram quem era a vítima: euzinha aqui ó.

Fui levada para o hospital mais próximo e depois de vários exames e algumas horas em obsevação, fui liberada. Confesso que foi difícil pregar o olho aquela noite! Por causa do choque emocional toda vez que fechava o olho, eu pensava que ali poderia ter sido o fim da minha vida aqui na terra. Aquilo me incomodava e eu custei a dormir naquela noite. “Era pra eu estar morta uma hora dessas”, pensava. Literalmente eu estive cara-a-cara com a morte. E eu que num estava nem ai pra ela (morte) comecei a ver como que eu era frágil. Como que meu corpo é frágil. Amanheço, mas não sei se anoiteço, se é que amanheço, né?

Durante alguns dias eu não podia andar porque houve uma torção no tornozelo do pé esquerdo, então, meu pai saiu da cama e ocupei o lugar dele dormindo com minha mãe para que ela me ajudasse durante à noite, caso eu quisesse ir ao banheiro, beber água ou tomar algum remédio. Em uma dessas noites, lá pelas tantas, eu tive um sonho. Não me lembro bem como era, só sei que era uma sensação muito boa. Eu estava feliz neste sonho, eu sentia prazer. E durante o sono eu falei dormindo: "- Eu te segurei em meus braços e não deixei que nenhum de seus ossos quebrasse!" Minha mãe que dormia ao meu lado ouviu o que eu disse, e ela assustada me despertou do sono perguntando: "- Regi, você ouviu o que você disse?" Olha, mas aquilo me deu uma raiva! Eu até que escutei o que eu disse em sonho, mas o que me incomodou é que ela me fez sair do meu estado de graça em que me encontrava naquele sonho. Aí, eu querendo voltar a dormir pra continuar o sonho falei: "- Ouvi sim, mas me deixa dormir, amanhã a gente conversa sobre isso." Dormi, mas não voltei a sonhar o sonho gostoso novamente, que eu nem sei o que era, só lembro-me da sensação de paz, uma coisa muito gostosa mesmo.

Na manhã seguinte conversamos sobre o ocorrido. Chegamos à conclusão de que Deus falou comigo através de meu sonho. Daquele dia em diante minha vida começou a passar por um processo, lento e longo de buscar a Deus.


“Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus.” Romanos 3:11
"Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora." João 6:37


Aos meus próprios olhos eu era sábia, entendida que uma beleza da vida. Durante este tempo me formei em Administração de Empresas, passei num concurso público e já namorava o homem que Deus tinha reservado para mim (hoje meu marido). Estava com a vida ganha, né? Num estava não. Durante todo este tempo eu sentia um vazio por dentro, uma inquietação. Umas lutas sem nexo, uma "guerra" interior, umas dúvidas existenciais, sei lá. Para algumas perguntas eu não tinha resposta e, as que tinham não me satisfaziam.

Comecei a questionar a Deus o porquê de eu estar passando por todas essas questões. Eu num tinha sido "crente" a minha vida inteira? E o que eu ganhei com isso? Eu num fiz tudo o que seu Mestre mandou? Então porquê eu tava ganhando bolo?

Era Deus que me levava a Jesus Cristo, e este já tinha feito um compromisso com seu Pai/Deus que não abriria mão de mim (kkkkkkk). Num adiantava eu pular, correr ou espernear. Imagine eu brigando com Deus. É covardia, né? E burrice minha tentar fugir.

Eu achava que era eu que estava buscando por Ele. Mais tarde entendi que na verdade era Ele que me procurava. Nós não temos a capacidade de ir atrás de Deus. É Ele que nos busca: “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” Apocalipse 3:20




“Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo". Mateus 4:1 A minha salvação quando adolescente foi o começo de uma vida com Cristo. É certo que eu fiquei estagnada espiritualmente, durante o período em que eu fui buscar, no “deserto”, respostas para minhas inquietações. Mas o Senhor me buscou da solidão. Hoje estou no processo de aprender estar no reino de Deus, ou seja, durante muito tempo eu era o meu deus, agora Deus é o meu Rei, tenho que aprender a ser sua súdita, a morrer cada dia meu eu para que meu Rei seja glorificado e não mais eu. Assim como Jesus foi conduzido pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo diabo, e de lá sair com a convicção de que foi fortificado pela graça divina, eu também fui. Pois é nos momentos difíceis que aprendemos. Foi lá que “conheci” meu Deus e seu poder: “...errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus. Mateus 22:29


"Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos." Jó 42:5
Eu não queria “igreja”. Isso eu tive durante a minha vida toda e de nada me valeu. Disso eu já estava farta! Eu queria aquilo que “ouvi” tantas vezes falarem nas igrejas mas, que eu não tinha “experimentado”. Eu queria "conhecer" Deus. Procurei por Ele onde eu poderia encontrar: na Sua Palavra, a Bíblia. Comecei a sentir vontade de ler e estudar a sua Palavra minuciosamente. Em minhas orações pedia ao Espírito Santo que falasse comigo, que abrisse meus olhos e meu coração para Seu entendimento, coisa que até então eu não tinha.
Assim como Jó, também posso falar que durante muito tempo eu ouvia falar de um Deus, e achava que até O servia, mas que na verdade eu não conhecia, mas que agora posso falar que estou conhecendo-o e a servindo-o de todo o coração.


"O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito." João 3:8

Até que um belo dia o vento do Espírito Santo soprou sobre mim e eu nasci dEle. É foi assim mesmo: um belo dia. Não dá pra falar quando. Quando dei por mim já tinha acontecido. Assim como Deus soprou nas narinas de Adão e Eva: "E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente." Gênesis 2:7, assim também Ele soprou Seu fôlego da vida em mim e eu nasci do Espírito.

A partir deste dia minha visão de mundo mudou. Passei a ter uma cosmovisão bíblica. Isso não é de uma hora para a outra não, é um processo que tem início no nascimento do Espírito Santo e não tem fim, nem mesmo na morte física porque: “ a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” João 17:3. Hoje, para mim, tudo começa, passa e termina em Deus. Eu acredito irrestritamente em sua Palavra. Todas as minhas perguntas e inquietações sobre tudo, sem exceção, foram respondidas e aquelas que não dá para explicar vai pela fé na Sua Palavra. Não tem meios termos.



"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."
João 3:16

Amigo (a), se assim como eu você tem inquietações e perguntas que este mundo não te satisfaz faça como eu. Reconheça que é pecador e que necessita de Jesus Cristo em sua vida. Ele morreu na cruz por você também. Este é o primeiro passo para ver o reino dos Céus. Depois, corra desesperadamente para a sua Palavra. É na bíblia que você conhece a Deus. Antes porém, peça ao Senhor que o Espírito dEle fale a seu coração, que revele a Verdade, que é Deus. Para que Ele abra seus olhos espirituais, que tire a cegueira de seu espírito, pois: "...pedi, e recebereis, para que o vosso gozo se cumpra.” João 16:24.
Mesmo que Ele não esteja mais na cruz, mas ressuscitado, Ele ainda está de braços abertos e não os fechará enquanto não estiver com você em seus braços.

Obrigado por você ter chegado até aqui. Este é um relato de um pouco de minha vida com o Senhor. Que Deus te abençoe.

Um comentário:

  1. ISTO mesmo devemos pregar o evangelho a todas as criaturas, JESUS continue te abençoando.

    ResponderExcluir

Você pode gostar disso também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...