sexta-feira, 2 de julho de 2010

Homem X Serviço Doméstico

                                                                                                        (foto da Internet)

E agora, Mané?


Pra eles, está tudo muito bom. Eles nunca tiveram a pretensão de “tomar” conta de uma casa. Só porque as mulheres “quiseram” sair de casa pra trabalhar, não significa que o homem também fez ou faz questão de ficar em casa fazendo as tarefas que anteriormente eram de responsabilidade somente dela. E ai vem o dilema: como fazer seu marido ajudar na tarefa doméstica. Ficamos discutindo, brigando e implorando, pelo amor de Deus que nossos maridos nos ajudem no serviço de casa.

As mulheres da época de minha avó (primeira geração) nem se quer cogitava a possibilidade em trabalhar fora de casa. Cresci, vendo minha mãe e minhas tias (segunda geração) trabalhando fora e tendo que se viravem para dar conta das tarefas da casa. Tanto meu pai, quanto meus tios, também trabalhavam fora, mas não tinham a “obrigação” com a casa: faziam aquilo que queriam e quando queriam e ainda achavam que faziam muito. E por incrível que pareça minha irmã, cunhadas e eu (terceria geração) estamos indo pelo mesmo caminho que o da segunda: jornada dupla. Espero que as mulheres da geração da minha filha (quarta geração) possam ser diferentes.

Trabalho meio período fora de casa e no outro dentro de casa. Sou eu a responsável pela administração doméstica: o que fazer, quando fazer, como fazer, e fazer. Tenho a ajuda de meu marido. Eu disse: a-j-u-d-a. Tudo é por minha conta. Mas como não sou de ferro, nem mulher maravilha, sempre que posso, recorro a ele e delego tarefas. Nem sempre ele faz de bom agrado, na maioria das vezes faz reclamando, mas faz (ainda bem).

No meu ponto de vista, acho que não háveria necessidade alguma de ficarmos discutindo sobre “como fazer nossos maridos ajudarem nas tarefas domésticas”, porque tá na cara que eles tinham que ajudar mais, afinal de contas eles foram muito beneficiados com nossas "gentilezas" em ajudá-los financeiramente. É uma questão de desconfiometro. (Continua no próximo post)

4 comentários:

  1. É, o fato da mulher sair para trabalhar acho que foi a forma que encontraram de serem ouvidas... mas o tiro saiu que meio pela culatra...

    Pouco antes de me casar deixei bem claro para meu noivo que se eu entrava com dinheiro ele entraria com serviço e portanto o fato dele fazer tarefas domésticas jamais deveria ser encarado como ajuda... e sim como obrigação dele!! Afinal meu dinheiro era contado para nosso orçamento, portanto eu não pagava somente alguma coisa qdo me desse vontade. Bem aki em casa funcionou, graças a Deus!!!rs
    Mas o problema acho eu, está nas mães que criaram esses meninos!!!
    bj

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Isa, tb concordo com vc: o tiro saiu pela culatra. Gostei que vc deixou tudo acertado antes mesmo de casar. Vc foi sábia. Obrigada por seu comentário. Fique com Deus

    ResponderExcluir
  3. Pois é.. concordo que esse tiro acertou nosso pé. Também acho que graças a isso temos uma geração de mulheres frustradas (mesmo que algumas não se importem) por não cuidarem dos filhos e da casa, por não conseguirem ser mulher. Não se trata de ser preconceituosa ou machista, mas de perceber que o plano de Deus para nós não foi esse.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  4. Boa noite Angela. Vc acertou na mosca:depois de muito levar na cara, percebi, como vc disse, que este não era o plano de Deus pra mim (nós mulheres). Tenho certeza que Deus já está abrindo a mente das mulheres, para que percebam nosso real propósito: auxiliadora idônea.
    Abraços

    ResponderExcluir

Você pode gostar disso também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...