segunda-feira, 22 de março de 2010

Tralhas



... Por isso que, depois, a gente pode soltar a mãozinha da mamãe (leia-se Espiadinha da Semana) e caminhar sozinha: Fazer nosso próprio Contra jornal, cardápio, Lista de limpeza Detalhada, etc.

Bom, continuei e me empolguei. Comecei meu primeiro Declutter. Gente! Retirei tanta coisa da minha casa que eu nem sabia mais que existia. Tanta coisa em duplicidade, quebrada (esperando para ser consertada um dia – que nunca chegava), coisas velhas que não serviam pra mais nada ou coisas boas para serem doadas, que não tinha serventia mais pra mim. Coisas que nunca usei e fiquei guardando pra quem sabe um dia eu venha precisar. Já estava com sete anos de casada e se não tinha usado ainda é porque não ia usar mesmo, né? Foram sacolas e sacolas, uma coisa de doido.

Também fiz um mega declutter na papelada. Acredita que eu tinha nota fiscal e manual de equipamento e eletrodoméstico que eu nem tinha mais? O negócio já tinha ido pro lixo e eu guardando o manual! Pra que? Pra ocupar espaço, pra acumular, pra me torturar, só pode. E extrato bancário? Desses que a gente retira em caixa rápido e que com o tempo vai se apagando e só fica o papel. Tinha aos montes.

Cada dia eu pegava um cômodo da casa e ia fazendo pedacinho, por pedacinho. Aprendi que o declutter nunca termina. Este foi meu primeiro de muitos.

Comecei a limpar lugares e móveis na minha casa que nunca tinham sidos limpos ou organizados por diarista nenhuma e nem mesmo por mim. Comecei então a conhecer de perto minha própria casa e minha família. Detectava quais eram as prioridades ou o que poderia ser adiado. Fiz minha própria lista de limpeza detalhada, meus cardápios, lista de compras, etc. Comecei de fato a organizar meu lar. Agendar e conciliar minhas tarefas com as da minha filha, natação, inglês, dever de casa, etc.

Eu estava tão empolgada que de madrugada, tinha algumas idéias em como organizar melhor minha casa e não conseguia dormir. Levantava no meio da noite pra colocar minhas idéias em prática. Teve um dia que achei que a copa ia ficar melhor se mudasse os móveis de lugar. Levantei e comecei a mudança. Meu marido levantou e me viu arrastando os móveis no meio da noite e achou que eu estava ficando doida (rs).

Eu tinha, e tenho muitas idéias durante meu período de descanso. Isso acontece sempre. Até mesmo com meu serviço de secretária. Às vezes estou com algum problema no serviço e quando deito, a mente clareia, as idéias vão surgindo, lembranças, e ai pela manhã eu posso resolver alguma coisa. Cada doido com suas manias, né? Vai entender?

E vocês têm manias? Quando iniciaram no FLY também ficaram empolgadas? E como vocês costumam ter “idéias” para resolver problemas? Conte pra gente, queremos saber. No próximo post continuarei falando sobre as mudanças que o método FLY trouxe pra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você pode gostar disso também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...