sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Últimas Notícias de nossa Sociedade






Cristãos ou não, o fato triste é que é o divórcio está esraizado em nossa cultura. Os casais brasileiros estão divorciando-se mais. A taxa de divórcio fala por si, recentemente divulgada pelo novo censo brasileiro.

A nossa cultura não ensina às mulheres que os homens têm seus valores. Na melhor das hipóteses, elas vêm os homens como "doadores de esperma" e não necessitam deles para mais nada. Os homens são totalmente dispensáveis nesta cultura e algumas mulheres até têm vergonha deles serem responsáveis pelo lar e fazem com que eles se sintam como um peso morto e inferiores a elas.

Hoje, estamos vivendo uma cultura a partir da perspectiva feminista, inclusive dentro de nossas igrejas. A maioria das mulheres usam vários tipos de desculpas para desejarem o divórcio: que eles não ajudam em casa; que eles trabalham demais ou de menos, e não tem tempo para a família; que eles não a fazem “felizes”, etc. Como se viéssemos ao mundo para sermos felizes e não para glorificar a Deus, inclusive em nosso casamento.
Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus I Coritios 10:31

Já conhecemos bem de perto esse retrato. E a taxa de divórcios entre cristãos, que deveriam andar na contramão do mundo como Cristo andou, também vem crescendo. Os casais cristãos que passam por crise em seus casamentos (que não são poucas, como qualquer casal normal) devem enfrentá-las juntos, pois só assim saíram delas com um casamento mais forte.

Nós mulheres, mais que os homens, esperamos muito de um casamento. Queremos um príncipe encantado que nos faça feliz e que seja capaz de ler nossa mente para realizar nossos desejos. Eu sei por experiência própria, pois já fui assim.

O engraçado, é que este mesmo censo indica que os casamentos e recasamentos também vêm aumentando, ou seja, os casais descasam e tornam a se casar (com outros parceiros). Não se divorciam para ficarem só, mas casarem com outros. É o caminho para a promiscuidade, o que também vem sendo sancionado pelas nossas igrejas.

Devemos, antes de tudo, obedecer a Palavra do Senhor. Temos que amar nossos maridos, respeitá-los, sermos submissas (a Deus primeiro, depois a eles), orar por eles para que eles possam ser líderes de confiança em nossa casa, obedecendo aos mandamentos de Deus.

Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela. Efésios 5:25
Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor. Efésios 5:22

O matrimônio seja realizada em honra de todos, e o leito sem mácula.
Hebreus 13:4

terça-feira, 11 de outubro de 2011

A Boca Fala do Que O Coração está cheio



A boca fala do que o coração está cheio. (Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca. Mateus 12:34 )



Já reparou como somos ensinadas a falarmos mal de nossos maridos? Seja através das novelas, das revistas femininas, filmes e outros meios de comunicação. Numa rodinha de mulheres (coitados dos homens!) falamos todos os podres deles: Que eles não prestam, que não fazem nada certo, que nunca conseguem nos agradar, etc, etc, etc. E como existem piadas de mulheres falando mal dos homens!



Se durante o dia você falar dele depreciando-o, humilhando-o ou rebaixondo-o, o que acha que vai acontecer no fim do dia quando se encontrarem? Briga, discórdia, desentendimentos e qualquer outra coisa pra piorar seu relacionamento conjugal. Porque todos esses sentimentos foram alimentados no seu pensamento durante o dia.



Então, vamos encher nosso coração de coisas boas a respeito de nosso marido. Sempre que vir a nossa mente qualquer coisa que nos desagrada nele ou dele, vamos colocar outra que nos faz orgulhar dele. Vamos falar dele com otimismo e orgulho. Vamos fazer comentários a respeito dele que o coloca pra cima, que possa trazer a nossa mente admiração por ele. Afinal ele é seu marido, seu companheiro, seu cabeça (Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo. 1 Coríntios 11:3 ) Aha! Então, se você falar mal dele, na verdade, você está falando mal de você mesma. Você está se voltando contra si. Porque agora vocês são uma só carne, lembra? (E serão os dois uma só carne; e assim já não serão dois, mas uma só carne. Marcos 10:8). Então, como você vai maldizer sua própria carne? (O homem bom cuida bem de si mesmo, mas o cruel prejudica o seu corpo. Provérbios 11:17). Não é uma atitude muito inteligente, né?



Vamos então falar sobre nossos maridos somente aquilo que é bom. Somente aquilo que possa edificar nosso relacionamento conjugal.( Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. Efésios 4:29)



Vamos encher nossos corações somente daquilo que é bom, para que assim nossa boca possa também falar somente o que é bom
.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Sem Opção





Pois é, aprendi na Palavra de Deus que não tenho opção. Tenho que amar ou amar. Primeiro amar a Deus (Amarás, pois, o SENHOR teu Deus ... Deuteronônio 6:5); depois, tenho que amar a meu próximo (Amarás o teu próximo ... Mateus 22:39). E quer mais próximo a mim de que meu marido? Então recebi este mandamento da parte de Deus como uma “consequência” do primeiro, ou seja, se eu amo a Deus, tenho que amar meu esposo.
Observei que Deus não colocou nenhuma condição? Ele disse pra eu amar sem SE. Ele disse: ame e ponto. com. br. Ele não falou para eu “sentir” amor. Ele não disse para eu amar se “sentir um frio na barriga”, um “arrepio” no corpo, ou ficar em “extase” pelo meu marido. Ele também não falou que o amor tem que ser correspondido, ou seja, só amo se meu cônjuge me amar também. Não! Jesus nos ordenou a amar também aquele que não nos ama: Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; (Mateus 5:44). Simplismente disse que eu tenho que amar. Mas como?
Deus, sabendo que não temos capacidade para amar por conta própria, nos deu a “receita” de como amar a Ele e a meu esposo/próximo: tenho que amar a Deus com todo o meu coração, com toda a minha alma e com todas as minhas forças (Amarás, pois, o SENHOR teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. Deuteronômio 6:5). E a meu próximo/marido, como a mim mesma: (...Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Mateus 22:39).
Se você está, assim como eu, recorrendo à Palavra de Deus para aprender a amar, já deve ter verificado que o amor de Deus é diferente do amor ensinado pelo mundo (Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbem os seus corações, nem tenham medo. João 14:27 ), pois o mundo caminha na contra mão da palavra de Deus. Tudo o que temos aprendido até agora, e que não deu certo, temos que deletar de nossa mente, e renovar nosso espírito com a palavra de Deus (E vos renoveis no espírito da vossa mente. Efésios 4:23), concluo então que amor não é sentimento. Amor é ação. Amor/sentimento é coisa de poeta, ótimo para deixar autor de novela, ou escritor de livros ricos. Mas na vida real ninguém vive de poesia. Amor/ação é a realidade, o nosso dia-a-dia, coisa de gente pé-no-chão. I Coríntians 13: 4-8 diz: O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá.
Que amor é este que o mundo tem nos apresentado que não suporta nada, que trata o outro com maldade, com interesses próprios até chegar ao ponto do divórcio? A quem o mundo tem amado com todo o coração, com toda alma e com todas as forças? Não é a Deus mesmo, né? Pois do contrário cumpria Sua Palavra em amar ao próximo como a nós mesmos. O problema é que estamos amando-nos mais do que ao próximo. Estamos nos amando mais do que a nossos esposos.
Então, tudo o que você aprendeu até hoje, que não está na Palavra de Deus sobre amor, esqueça, se é que quer aprender a amar segundo Deus, e reaprenda a amar de verdade conforme a Palavra de Deus.
No próximo posto colocarei algumas atitudes/práticas que podemos fazer para demonstrar que estamos amando nossos maridos.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Como Amar nossos Maridos




Você sabe como amar seu marido? Você ama seu marido? Se a resposta for negativa, você quer aprender a amá-lo?


Aprender?


Sim, aprender, porque amar nosso cônjuge se aprende sabia? pelo menos é o que diz em Titos 2:4 (Para que ENSINEM as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos.). Então o que aprendo aqui é que: prudência, amar os maridos e amar os filhos podem ser aprendidos, ou seja, não nascemos sabendo essas coisas. Elas podem ser ensinadas e, portanto, aprendidas.



Você é prudente?
De acordo com o dicionário prudência é: virtude que leva o homem(mulher) a conhecer e a evitar perigos ou incoveniências.



Então, posso concluir que sou prudente quando amo meu marido, porque assim evito o perigo de estar casada com alguém que não amo e a incoveniência de manter um casamento de aparências, bem como todos os perigos e inconveniências que rondam um casamento sem amor: adultério e divórcio.



Então, a primeira coisa que aprendi é que sou prudente quando amo meu marido. Também entendi que posso "aprender" a amá-lo.



Tá bom. Já sei que é coisa de "ajuizadas" amarmos nossos maridos, mas como aprender a amar? Eu achava que todo o ser humano já nascia sabendo amar, como se fosse um instinto, tal como a fome, o sexo e o sono. Estudando a palavra de Deus verifiquei que não. Nós não nascemos sabendo amar porque nascemos separados de Deus (Porque todos pecaram e destituídos (separados) estão da glória de Deus; Romanos 3:23). E Deus é amor (Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. 1 João 4:8 ).



Se estamos separados do Amor/Deus, como amar? Temos que primeiro nos aproximarmos de Deus, para que seu amor nos preencha por inteiro, para depois irmos aprendendo a amar. (E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. 1 João 4:16 ).



E foi o que eu fiz. Fui na fonte. Busquei a Deus (Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações. Tiago 4:8) e Ele tem me ensinado diariamente, a amar meu marido.



Portanto a primeira coisa a fazer é buscar ao Senhor, a fonte do amor, Ele nos ensinará como amar. O que venho aprendendo não foi em novelas, revistas femininas, filmes, amigas ou livros de auto-ajuda. Tenho acesso à Palavra de Deus, então fui direto a ela. E através dela, Deus tem me ensinado seu amor.



(continua no próximo post)

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Antes que Ele Vá Embora para Sempre








Quando eu namorava Osmar, nos víamos uma vez por semana apenas. Morávamos em cidades diferentes e nós dois trabalhando e estudando, cuidando cada um da sua vidinha, não dava tempo de muitos encontros, a não ser fim de semana e feriados. Por isso quase não brigávamos.

Quando nos encontrávamos era para conversar e matar a saudade um do outro. Mas depois que casamos e passamos a morar no mesmo teto, dormir na mesma cama e comermos à mesma mesa, o cotidiano veio se instalando e as diferenças foram aparecendo.

As arestas foram se formando, cada uma de um lado, até ferirmos um ao outro. Graças a Deus, Ele me fez abrir os olhos para o que estava acontecendo e o que poderia a vir a acontecer quando em um casamento o amor vai se esfriando, morrendo aos poucos. Deus me fez acordar para sua Palavra, e através dela resgatar muitas coisas em minha vida, inclusive meu amor por meu marido, que estava se esvaindo com o dia-a-dia.

Pensando bem, não é diferente da maioria dos casais. Quando se conhecem, durante o período de namoro é tudo mil maravilhas, fazem planos e juras de amor eterno, mas depois de casados, com o convívio, vêm também as dificuldades, mágoas e o único pensamento é o divórcio. Chegam a pensar que nem foram eles mesmos que se amavam tanto, parecia ser outra pessoa, né?

Mas como então resgatar o que parecia ter acabado? Como ressuscitar o amor que juramos ter morrido?

São essas coisas que quero compartilhar com vocês. Meus aprendizados. É, porque não sei de nada ainda. Estou na estrada, caminhando e andando, seguindo na direção. Não cheguei lá não. Um dia quem sabe poderei ser mestra na arte de ensinar a amar, mas por enquanto sou aprendiz, e é esta minha experiência que quero compartilhar com vocês: como aprender a amar nossos maridos.

(continua no px post)

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Dia 31 - Estou Orgulhosa de Você









Pois bem chegamos ao 31 passos Fly. Na verdade isso foi o começo de uma caminhada. A jornada continua. Temos nosso Control Jornal que vai sendo construído e modificado conforme nossas necessidades e que tem que ser verificado constantemente.

Aprendemos que tudo é aos pouquinhos e sempre. Não tem outro jeito. A chave do sistema é destralhar a nossa casa. Jogar fora mesmo aquilo que não tem utilidade alguma. Em seguida, elaborar nossa lista de limpeza detalhada de cada cômodo da casa e se dedicar a um item por vez, sem pressa, mas constantemente. E não esquecer de uma vez na semana abençoar o lar: varrer, passar mop e retirar a poeira.

No próximo post vou abordar outro assunto. Vou compartilhar minha experiência em aprender a amar meu marido. Então se você tem dificuldade no relacionamento com seu cônjuge, vamos aprender juntas a amar nossos maridos.

sábado, 27 de agosto de 2011

Nem tudo que reluz é Ouro









Recebi este e-mail:

Outdoor do CITIBANK apenas para reflexão ...
Campanha publicitária do Citibank espalhada pela cidade de São Paulo através de Outdoors:
• "Crie filhos em vez de herdeiros."
• "Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete."
• "Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela."
• "Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama."
• "Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas."
• "Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?"
• "Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos."
• "Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas..."
• "...e quem sabe assim você seja promovido a melhor ( amigo / pai / mãe / filho / filha / namorada / namorado / marido / esposa / irmão / irmã.. etc.) do mundo!"
• "Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos."
E para terminar:
"Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim, ele saberá o valor das coisas e não o seu preço."


Em especial esta última frase acima me fez pensar um pouco: Nem tudo o que tem aparência de bem é bem.


Esta frase por exemplo:"Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim, ele saberá o valor das coisas e não o seu preço." , é como ouro falso: reluz mas não é ouro. Ou seja é bonita, mas vai completamente de encontro ao que diz as Escrituras. Não nascemos para sermos felizes mas para adorar ao Senhor.

Ficamos frustrados quando nos demos conta de que nada nos faz pessoas felizes, ai começamos a procurar a tal felicidade em coisas: alimento, consumo desenfreado, relacionamentos e drogas.

Por isso que quando nascemos de novo (nascimento espiritual) optamos por deixar TODO o conhecimento do mundo e retermos somente aquilo que Deus fala.

Olha, tem cada coisa que "parece" bonita, que "parece" que é de Deus, e no entanto, são coisas do inimigo querendo nos separar de Deus. Essa frase acima é um exemplo: parece que é de Deus, né? Mas repare bem que ela coloca o homem em primeiro lugar. Ela diz que: o dinheiro não é bom. Você é que é bom. O dinheiro não trás felicidade, a felicidade está dentro de você. Vá atrás dela. Muitos a encontram, você também pode, você é capaz, você é o cara!

Viu que bonitinho? O dinheiro não vale nada. Você é quem vale. E Deus? Tá onde?
Mas veja o que Deus diz sobre nosso valor:
(Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades como um vento nos arrebatam.) Isaías 64:6

Portanto, como diz Paulo:
Examinai tudo. Retende o bem.
Abstende-vos de toda a aparência do mal. (I tessalonicenses 5: 21-22)

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Férias

Férias, ô coisa boa! Só da gente não ter compromisso e não ter que acordar cedo já é muito bom!
Nesta última fizemos pintura com tinta guache, pois é fácil de limpar, sai apenas com água.


Depois da pintura, fizemos uma festa:: "guerra de tinta". Olha só como ficamos!



Voltei ao tempo de criança quando a sujeira fazia parte da minha pele (rs).

Depois fomos passear em São Paulo. Eu já tinha ido lá quando adolescente, e bem me lembrava de que as pessoas de lá são super simpáticas. Mesmo com aquele corre-corre típico de cidade grande, as pessoas arranjavam tempo para um sorriso, nem que fosse um cumprimento.

Olha a galera que estava conosco: Minha tia Ilda, meu primo Júnior, sua filha Isabella, minha "boneca" Gabriela, Fernanda (esposa do meu primo Júnior) e sua filha Ana Maria.

E tinha mais gente conosco, fomos em 15 pessoas. Foi muito gostoso e descontraído.


Em São paulo, depois das compras fomos ao zoológico. Gostei muito do elefante e da girafa.





E como tudo o que é bom dura pouco... nesta foto ai, numa maior farofada enquanto esperávamos nosso vôo para retornar a nossa terrinha, Vitória.



Graças a meu Deus por esta oportunidade em passar momentos agradáveis, com pessoas especiais.


















sábado, 23 de julho de 2011

Dia 30 - Cheque seu Calendário de Eventos para os Próximos Meses





Para não esquecermos de algum evento importante ou não, é necessário agendamento. Hoje em dia, com o computador e a internet ficou tão fácil ter uma agenda. Lembro que para adquirir uma agenda eu tinha que ir até uma papelaria ou local onde vendesse uma. Hoje isso já não é mais necessário. Posso eu mesma fazer minha agenda personalizada. Existem vários modelos e posso ainda colocar fotos e imagens de minha preferência.



Então tenho o costume de fazer um calendário mensal. No final de cada mês faço um calendário para o mês seguinte marcando os eventos que acontecerão. Deixo ainda um espaço para que durante o mês eu possa anotar os compromissos de última hora.




Depois coloco na porta da geladeira pra todo mundo ficar ciente do que acontece. Deste modo fica muito mais difícil a gente se esquecer de alguma coisa.



Lógico que não sou perfeita e é exatamente por isso que recorro a este método, e dentro da medida do possível, tem dado certo.


Podem ver alguns modelos de calendários aqui.








segunda-feira, 18 de julho de 2011

Aprendendo mais do que Ensinado








Uns dias atrás, durante o culto familiar eu estava discutindo com minha filha a respeito de Gêneses 18:14 (Haveria coisa alguma difícil ao SENHOR? Ao tempo determinado tornarei a ti por este tempo da vida, e Sara terá um filho.). Especificamente a primeira parte: haveria alguma coisa impossível para Deus? Expliquei então, que nosso Deus é Deus do Impossível, que todas as coisas podem ser muito difíceis para nós, mas que para nosso Deus nada é impossível, pois Ele é soberano, criador de todas as coisas, etc, etc, etc.

Enfim, fiz aquele “sermão” sobre a onipotência do Senhor. Querendo saber se tive bom êxito em minha explanação, perguntei se ela entendeu direitinho o que eu lhe falei. Ela disse que sim. Que tinha entendido. Fiquei aliviada, pois me fiz entendida. Então fiz à Gabriela a mesma pergunta que Deus fez à Sara: Haveria coisa alguma difícil ao Senhor? E qual não foi minha decepção quando ela respondeu que sim. Existe sim alguma coisa impossível a Deus. Decepcionada, perguntei a ela então o que ela achava que seria impossível para Deus, (já imaginando que tipo de didática eu teria que usar, uma vez que eu estava certa de que ela não tinha conseguido entender nosso tema: Nada é impossível para Deus!). Fiquei aguardando ansiosamente sua resposta, pois seria com base nela que eu teria que revisar minha estratégia de ensino. Quando ela disse:

- Pecar. Deus não consegue pecar.

Ai, que alívio! Ela compreendeu tudo e muito mais. Ela fez seu próprio conceito da onipotência de Deus. Ela percebeu que todas as coisas são possíveis para Deus, mas que somente o pecado é impossível para Ele.

Aprendi que vale à pena discipular nossos filhos, pois eles entendem perfeitamente a palavra de Deus e que podem nos surpreender com suas percepções.

Confesso que eu não tinha abordado este tópico durante o culto familiar. Foi Gabriela, sozinha, que chegou a esta conclusão, fazendo ligação entre outros assuntos discutidos em outras ocasiões.
Pelo menos já tenho a certeza de que ela sabe que Deus não suporta o pecado, pois é ele que nos separa de Deus.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Dia 29 - Estabeleça um Tempo para o Mimo da Semana







Já que cuidamos de nossa família e de nossa casa, penso que devemos também cuidar do nosso corpo. Sabe aquele tempinho pra gente se cuidar, se dar um carinho e atenção a nós? Não por que merecemos. Mas porque necessitamos de cuidados.

Cuidar do nosso corpo e aparência não é vaidade. É atenção com aquilo que Deus nos deu. Nosso corpo é o templo do Espírito Santo (Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? I Coríntios 6:19). Tá vendo, meu corpo não é MEU, é de DEUS, ele apenas me “emprestou” durante algum tempo. Então penso que tenho que cuidar bem daquilo que Deus me confiou, um corpo. Lógico que sem neura, sem entrar numa de ficar focada na vaidade. É um zelo, não um tormento para minha vida. Mesmo porque eu sei que um dia ele vai acabar mesmo.

Normalmente, deixo o fim de semana para fazer as unhas e hidratação no cabelo. Eu mesma faço minhas unhas e hidrato meus cabelos em casa. Faço esfoliação nos pés e depois hidrato todo o corpo com um creme próprio.

Durante o momento do mimo, aproveito também pra relaxar a mente, faço um cafezinho, ouço uma música agradável, e como faço isso em casa, aproveito pra ir batendo um papinho com maridão e filhota. É um momento de cuidado comigo.

domingo, 26 de junho de 2011

Servindo a Deus com um Cafezinho








Estou aprendendo a dar ouvido à Palavra de Deus e não ao que o mundo diz.

A pia estava lotada de vasilhas, que durante o dia foi sendo usada, pois num feriadão, todos em casa, sem nada pra fazer, belisca-se uma coisa aqui e outra ali. Assim, vi que se eu não eliminasse as louças da pia, ninguém mais faria este serviço. Cada um na sua, fazendo o que tinha vontade, menos eu, pois fui fazer aquilo que não tinha nem um pouco de vontade de fazer naquele momento.

Enquanto estava em pé na frente da pia lavando as louças pensava: porque tem que ser EU a parar com as atividades que me trazem prazer e fazer o que não quero fazer e não meu marido? Ele também viu que a pia estava lotada de louças, mas não mexeu nem um dedo para eliminá-las. Se eu não fosse para a pia, as louças continuariam ali. Enquanto eu estava remoendo este pensamento, meu marido grita da sala: - Bem, faz um cafezinho pra gente!

Ai, confesso que quase tive um piripaque. Imagina só: além dele não se incomodar com as louças sujas, e nem de reconhecer meu esforço em deixar a casa limpa e organizada para o bem estar de toda a família, ainda queria mais, queria que eu fizesse um "cafezinho". É piada, né?

Então uma vozinha aqui dentro falou. - Num faz café nenhum, afinal se ele quiser que venha fazer ou que venha te ajudar nas louças. Porque tem que ser você a fazer tudo? Ele também tem que ajudar. E a divisão de tarefas, igualdade sexual, etc, etc,? Quando ele pedir novamente, você não deixa por menos. Fale tudo o que tem vontade de falar, quebra o pau mesmo. Ele tem que aprender que também tem que ajudar. Se quiser ficar com raiva que fique mas pelo menos você falou tudo o que te incomodava.

E uma outra vozinha falou: é assim que uma serva do Senhor tem que agir? o que diz a Escritura sobre servir aos outros? "servindo uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus." I Pedro 4:10.

Deus me deu um dom: uma família, marido, filho, casa, e Sua graça. Qual minha atitude então? de acordo com o versículo citado, tenho que ser boa despenseira da graça de Deus. Devo servir, de acordo com o dom dado a mim por Deus, com boas atitudes, demonstrando a graça de Deus.

E sobre este? "se qualquer te obrigar a caminhar mil passos, vai com ele dois mil." Mateus 5:41.


É lógico que meu marido num tava me obrigando a fazer café. Ele estava me pedindo educadamente. Mas a Palavra diz que se eu fosse obrigada, que fizesse a mais do que aquilo que estava sendo obrigada a fazer. Eu já estava lavando as louças, então agora eu ainda tinha que fazer café.

A primeira voz era a do mundo, me colocando em evidência. Falando que eu era a atriz principal, a soberana, aquela que todos tinham que estar a meus pés. Eu não estava sendo servida, mas servindo, então não estava bom. O quadro tinha que mudar. Era por isso que eu estava com raiva.

A segunda voz era a de Deus, dizendo que "... vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim;...". Gálatas 2:20. Colocando em evidência Cristo, o Filho de Deus, que veio ao mundo para servir e não para ser servido (Mateus 20:28). Falando que Ele é o ator principal, o Deus soberano, aquele digno de toda honra e toda glória. Eu já morri, é Cristo que vive e se manifesta em mim e através de mim.

E como todo bom servo faz em relação ao seu Senhor, obedeci. Fiz o cafezinho, depois de deixar a pia brilhando. Servi a meu Senhor Jesus Cristo e de quebra agradei também ao meu marido e a mim.

Tivemos uma noite tranquila, em paz, sem discussão e sem atrito. Com a certeza de que servi a Deus com um simples cafezinho.

sábado, 18 de junho de 2011

Dia 28 - Alimente-se corretamente, beba água e descanse










O ativismo pode tomar conta da gente. Na verdade, se não nos policiarmos outros tomam: nossos filhos, maridos, pais, irmãos, profissão e serviço doméstico podem nos sugar a energia. Então, é necessário recarregarmos nossa bateria. Boa noite de sono pode não ser suficiente. Temos que cuidar também da nossa alimentação, saúde e espírito.




Pra dizer a verdade, ultimamente não tenho levado isso a sério, e estou sentindo o corpo reclamar. Sei que também tenho que lembrar de mim. É tão fácil me encher de tarefas e no final do dia eu me sentir esgotada, sem vontade para nada.




Tenho colocado na minha rotina o descanso após 45 minutos a cada hora. Assim deito e coloco minhas perninhas pra cima, pego o livro que estou lendo no mês e vou colocando em dia, ou dou um telefonema, coisas assim. Últimamente, não tenho feito exercícios físicos, mas já está na minha agenda e brevemente retornarei. Quanto à alimentação, está de mal a pior, tem dias que chego do trabalho e engulo a comida, em pé mesmo pra adiantar a agenda lotada.



Então, analisando o vigésimo oitavo dia Fly posso dizer que ele é essencial para a rotina não ser prejudicada com nosso mal humor ou nossa saúde debilitada. Tenho que tomar consciência de que sou importante e que tenho que cuidar mais de mim.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Criando Filhos- Escolha







Continuação do post anteiror...
Não foi muito difícil esta escolha, pois só existem dois: os princípios bíblicos e os não bíblicos, ou do mundo. Para realizar uma escolha é necessário analisar os prós e os contra de cada um. Se optássemos pelos princípios do mundo teríamos uma infinidade de opiniões. Pois o mundo tem muita oferta. Teríamos que fazer uma grande triagem. Tem opções para todos os gostos, pois de acordo com a oferta do mundo, quem manda sou eu, o freguês. Então nos depararíamos com um grande catálogo de princípios educativos que nos trariam dúvidas, pois os valores são alterados a cada década ou a cada geração. Aquilo que era há 10 anos atrás, agora é ultrapassado, fora de moda e portanto sem valor. O que ensinassemos hoje para nossa filha poderia não servir daqui há 10 anos, ou bem menos. O lado "positivo" é que facilmente encontramos material de ensinamentos a respeito deste princípio: basta ligar o televisor e ouvir debates de psicólogos, pedagógos e até de apresentadores de auditório, novelas, livros ou ir até a banca de revista mais próxima e adquirir um exemplar de qualquer revista feminina ou direcionada para educação de pais e filhos. Querendo algo mais culto ou científico, é só se dirigir a uma universidade qualquer e analisar alguns trabalhos acadêmicos que nos dão base científica para educação, até que outro trabalho acadêmico de outro estudioso do mesmo assunto, discorde e desmascare os argumentos do primeiro.



Decidimos então abraçar os princípios bíblicos pois no meu entender, a palavra de Deus é invariável, ou seja, uma educação baseada na palavra de Deus, não muda. Tenho a certeza de que o que ensino a minha filha foi ensinado pelos meus avós e poderá ser ensinado aos meus netos. Quando você adota outros principios, corre o grande risco de haver alteração nos valores: hoje serve, amanhã não, pois foram ultrapassados. Então a pessoa fica como que folha jogada ao vento: de um lado para o outro, indo de acordo com o "Psicólogo" do momento. Mas os princípios bíblicos são eternos: Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar. Lucas 21:33.
Um outro fator que nos ajudou na decisão foi: "... a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração." (Hb 4:12). Um outro fator que nos ajudou na nossa decisão é de que: Ou seja se é viva, é porque não morre (observe que o verbo está no presente:é viva), não pode ser ultrapassada por nada de "novo".







A Palavra de Deus serve para TUDO o que o educador necessita para instrução. Tem-se um grave erro em achar que a Palavra de Deus é válida somente para assuntos religiosos. Mas tudo e qualquer coisa pode ser encontrado em um só lugar. Ou seja não preciso de vários livros ou correr para vários lugares para procurar direcionamento em relação a um determinado assunto que tenho dúvida quanto à criação de minha filha, pois na Bíblia encontro tudo sem contradições, pois " Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. " (2 Tm 3:16-17). Tenho aqui então a certeza de que assim meus objetivos serão atingidos.

Sendo assim, toda a Escritura, não apenas uma parte dela, mas toda ela é inspirada por Deus e útil, serve para o ensino. Quando preciso ensinar alguma coisa que minha filha ainda não sabe; Serve para repreensão: posso mostrar a ela o porque a estou repreendendo; também é através da Escritura que posso corrigir minha filha quando ela faz alguma coisa errada, ou seja, baseada em que? o que diz a Escritura sobre este erro? É também na Escritura que posso basear a educação de minha filha com justiça. Não terei dúvida se estou fazendo o certo ou não. Mas porque usar a Escritura para a educação. O texto fala: para que o indivíduo seja perfeito, pronto, habilitado para realizar toda boa obra, fazer coisas boas.(2 Tm 3:16-17). É isso que eu quero pra ela: habilidade para realizar toda boa obra.

O lado "negativo" é que para adotar este tipo de princípio de educação, o bíblico, você não manda em nada. Tudo vem de Deus. Muitas vezes sua vontade é outra, mas por opção, não por obrigação, você se anula pra fazer a vontade do Pai/Deus. Diferentemente dos princípos de educação do mundo, onde você é o centro de tudo. No princípio bíblico Deus é o centro de tudo. Aliás como ouvi um dia desses, Deus É o centro. Você, juntamente com suas vontades, morre para o mundo. Passa a aceitar somente aquilo que vem diretamente do Criador. Pensando bem, o lado "negativo" bem que é positivo né? Afinal, pela própria palavra de Deus, ... Mais importa obedecer a Deus do que aos homens(mundo). Atos 5:29. (mundo) foi eu que coloquei, num tem isso na Palavra não, é
interpretação minha.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Criando Filhos II




(Continuação do post anterior)
A primeira coisa que compreendi é que o ensinamento teório tem que vir junto com a prática: aos domingos, teoria, e no resto da semana o ensino é prático e laboratorial, ou seja ela usa tudo o que aprende (prática) e observa se também colocamos em prática diária aquilo que ensinamos de acordo com a Palavra de Deus (laboratório). Em Deuteronômio 6: 7 diz que cabe a mim, mãe, ensinar minha filha a Palavra de Deus. E diz ainda como devo ensiná-la (E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te).

Percebi então que é necessário escolher um princípio de formação para direcionamento da educação. É simples. Para tudo temos que ter um plano básico, até mesmo para a criação/educação dos filhos. Isto é necessário para que nós, pais, tenhamos uma direção na educação dos filhos e não fiquemos perdidos na hora de educá-los, na hora de corrigir ou intruí-los. Como todo plano, é necessário que tenhamos em mente o objetivo final, ou seja, se estamos falando de criação de filhos, que fique claro que tipo de adulto queremos formar. Afinal é isso o que eles se tornarão.

São os príncipios de criação escolhidos pelos pais, que formarão o carácter dos nossos filhos. Sabe aquela história de plantar laranja e colher maçã? impossível né? A gente colhe aquilo que planta.

Sendo assim, depois de definirmos o objetivo que queremos atingir, que é: formar em Gabriela um caráter perfeito, com habilidade para realizar tudo que seja bom. Desejo este, nada diferente da maioria dos pais que verdadeiramente amam seus filhos: queremos o melhor para eles.


Então passamos para o próximo passo: optar na escolha de princípio de formação de educação que nos garante alcançar nosso objetivo.

(continua no próximo post)




sexta-feira, 27 de maio de 2011

Criando Filhos






Diz o ditado que a necessidade faz o sapo pular. E foi durante uma necessidade que deparei-me com a realidade que ser mãe também é ser educadora. Por um problema administrativo na igreja onde frequento, não havia, até um tempo atrás, a escola bíblica para crianças, somente para adultos. Então me vi com um problema: como a minha filha receberia educação religiosa, desde a mais tenra idade, se a igreja não estava cumprindo seu papel, seja lá por qual motivo? Como ela receberia instruções da Palavra de Deus?

Foi então que cheguei a seguinte conclusão: o papel de educadora é meu. EU sou a responsável pela educação da minha filha. Seja ela qual for: educação religiosa, educação financeira, educação secular, etc. Não que a Igreja, a Escola e o Estado não tenham responsabilidades educativas, mas a responsabilidade primeira é minha. Deus me deu a missão de ser mãe, não somente para ganhar presentes nos dias das mães (rs), mas exclusivamente para ser educadora da minha filha, ensinando e orientando-a para ser discípula do Senhor, preparando-a para seguir o Mestre. "Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão."(Sl 127:3). Então se a herança é minha, eu é que tenho que cuidar dela, né?

Cabe aos pais TODA a educação dos filhos. Tomei consciência disso pois, "Todos os teus filhos serão ensinados do SENHOR; e será grande a paz de teus filhos."(Is 54:13). E então, mãos à obra. Durante os domingos pela manhã, fazíamos o estudo bíblico infantil em casa. Adquiri uma revista infantil, com termos e artigos destinados a este público. E seguimos sistematicamente o plano de ensino.
(Hoje, já está normalizado a escola bíblica infantil na minha igreja e minha filha está frequentando, mas caso tenho algum problema que não possa levá-la no domingo, eu mesma ministro pra ela a Palavra de Deus.)

Durante o processo de ensino-aprendizagem, fui vendo o que necessitava e corria atrás. Percebi algumas coisas que são imprescindíveis a nós, pais/educadores, na educação de nossos filhos, e quero compartilhar com o mundo virtual.

(continua em próximo post)

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Dia 27 - O que há para o Jantar






Eita perguntinha que eu detesto! Mas de vez em quando tenho que responder a esta pergunta.

Não gosto de cozinhar, portanto, quanto tempo ficar no fogão, pra mim melhor.

Então consegui alguns truques para preparar o jantar em 30 minutos, na maioria dos dias da semana. Encontrei neste site
aqui: algumas dicas de planejamento de cardápio, congelamento e organizador pra imprimir e fazer meu próprio planejamento. O site está em inglês, mas com o tradutor on line dá pra entender muita coisa.

Primeiramente fiz um cardápio. É claro que não estou presa a ele. Caso não dê para fazer o que está no cardápio do dia, não tem problema, faço outra coisa. O cardápio nada mais é do que um direcionamento, para eu não ficar perdida na cozinha.
É lógico que nos dias de semana faço algo bem fácil, básico mesmo, pois não tenho tempo. Já nos finais de semana faço umas receitas mais elaboradas, dentro de minha capacidade na arte culinária, que não é lá essas coisa, neam?.

Após elaboração do cardápio, vou às compras. Procurei colocar no menu alimentos que minha família come, fácil de encontrar em qualquer supermercado e de fácil preparo. Tenho sempre filé de boi, de frango, carne de porco, frango a passarinho, peixes, linguiça e outros. É Baseado nisso que faço o cardápio.


Outra coisa, não vou para o fogão todos os dias. Cozinho 2 vezes na semana. Faço grandes porções: cozinho e tempero o feijão pelo menos para 15 dias, coloco em porções e congelo. O arroz eu faço para a semana e congelo em porções. Massas e carnes também faço em grandes porções, embalo e congelo. De maneira que basta descongelar na noite anterior na parte baixa da geladeira. No dia seguinte, é só esquentar no microondas e fazer uma salada. Assim, em 30 minutos no máximo, o jantar está pronto.

Gosto de ter no freezer um "coringa" para as horas de necessidade: linguiça, empanados, etc. Para aqueles momentos que por ventura não pude descongelar no dia anterior e fica difícil descongelar rapidamente no microondas.


No menu, procurei alternar o básico arroz com feijão, com massas e um lanchinho (mixto quente, pão com presunto e muzzarela e pizza).

Não almoçamos em casa durante a semana, apenas jantamos, então faço porções suficiente para o jantar diário de 3 pessoas. É claro que uma comidinha feita na hora é muito melhor, mas esta foi a opção que encontrei para alimentar minha família e dar conta de outras atividades sem me estressar todos as noites quando escuto a pergunta: O que tem para o jantar hoje?

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Desfeminilização, Igreja e Família






O segundo fator é o silêncio e a passividade da igreja. A feminização da família tem ocorrido em grande medida porque a igreja foi quase totalmente silenciosa sobre o assunto. A igreja não cumpriu o ataque do feminismo na cabeça com a espada da Palavra de Deus. Pelo contrário, vergonhosamente, a igreja recuou no ataque feminista, e já comprou muitas idéias do feminismo. A igreja tem sido culpada de ensinar coisas como o casamento igualitário, "planejamento familiar", e de apoiar a idéia de uma mulher de carreira e trabalho materno. Grande parte da culpa deve ser colocada nos pés dos pastores e presbíteros que foram enganados ou com muito medo de pregar ou defender a verdade sobre a família que Deus tem revelado em Sua Santa Palavra. As feministas têm tido sucesso em alterar a família, porque a igreja falhou em viver e ensinar a doutrina bíblica positiva da família e não respondeu as mentiras das feministas.


Qual deve ser a nossa resposta, como cristãos, para a feminização da família? Nossa resposta começa com o reconhecimento de que isso tenha acontecido. A negação não nos fará bem algum. Então, devemos assumir a tarefa de desfeminização da família e a recristianização da família. Esta tarefa é o trabalho de cada cristão de cada família, mas é principalmente o trabalho dos maridos e pais cristãos, que foram designados por Deus como líderes da casa. Homens devem levar por preceito e exemplo para erradicar todos os aspectos da influência feminista da vida e da estrutura de sua família e restaurá-la a um padrão bíblico. Os homens devem provar que são homens e colocar nos ombros toda a carga de responsabilidade dada a eles por Deus. Os homens devem deixar de ser intimidado pela retórica feminista e radicais e sem medo de promover a ordem de Deus para a família.


A tarefa de reconstruir a família, segundo a Palavra de Deus também vai exigir da igreja o cumprimento fiel dos ensinamemtps do que a Bíblia diz sobre a família, e, em muitos casos, alterar a estrutura da sua igreja e ministério (que também foram feminizadas) para apoiar a família ao invés de enfraquecê-la. Exigirá dos pastores e presbíteros respeito à instituição da aliança da família. Exigirá que pastores e presbíteros, que são um exemplo para o rebanho, desfeminição de suas próprias casas. E vai levar professores e pregadores com a coragem e a convicção de John Knox e João Calvino para expor as mentiras venenosas do dogma feminista e para declarar e defender o padrão bíblico para a família do púlpito.

domingo, 24 de abril de 2011

dia 26 - Leia Atentamente os E-mails










Nada mais é que um insentivo para mantermos nosso novo hábito: organização doméstica. Com o tempo, podemos desistir ou aprimorarmos neste hábito. Se andamos com pessoas que nos insentivam e que nos apoiam, é bem provável que aconteça o segundo caso.

Não dê ouvidos às pessoas que querem puxar seu tapete. Pessoas que vêem seu progresso e fazem de conta que não viu. Pessoas que não dão valor àquilo que você está construindo e modificando pra melhor.

Desde 2008, quando conheci o sistema FLY de organização, tenho conseguido colocá-lo em prática e foi muito bom. Um pouquinho todo dia, sem pressão, sem neura. Deu pra fazer, faço; Não deu, deixo pra outro dia. E assim vou levando.

Vi que foi muito bom. Eu tenho, desde então, conseguindo cuidar da minha casa sem ajuda de ninguém. É lógico que passei por momentos de dificuldades e desânimos, mas que não me abateram ao ponto de me fazer desistir.

Bons hábitos têm que ser mantidos. A constância de nossas atitudes é que vão fortalecer nossos hábitos.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Feminismo e os Homens Cristãos - Qual sua atitude?

Feminismo e os Homens Cristão- Qual sua atitude?

Sexta, a idéia de que uma família grande é uma "bênção" é rejeitada por noção de que uma família pequena de um ou dois filhos (e para alguns, sem filhos)é muito melhor. O conceito de "planejamento familiar" voltadas para reduzir o número de crianças em casa é defendida por praticamente todos. O ensino bíblico de que uma grande família é devido à bênção de Deus e soberania (Sl 127, 128) é desprezado pelas famílias modernas, mesmo aqueles que afirmam ser cristãs. A visão feminista de que nós determinamos o número de filhos que teremos, que somos soberanos sobre essas questões, agora é aceito sem perguntas. Naturalmente, esta suposta soberania sobre a vida e o nascimento leva a uma justificação do aborto, o melhor controle da natalidade.

Sim, a feminização da família tem tido lugar no Ocidente! O conceito cristão da família tem sido substituído pela idéia feminista da família: divórcio fácil substituiu uma visão da aliança de casamento; igualitarismo substituiu liderança masculina, o homem e a mulher como prestadores de articulação, tem substituído o homem como provedor, a mulher e mãe que trabalha fora de casa substituiu a mulher como dona da casa, a mãe como um empregado tem substituído a mãe como educadora dos seus filhos, "planejamento familiar" e "controle da natalidade" substituiu a família com filhos.


Dois fatores têm contribuído grandemente para o sucesso das feministas em derrubar a estrutura familiar e a prática que é baseada na Bíblia. O primeiro fator é a covardia dos homens, sim, até mesmo os homens cristãos. Até certo ponto é compreensível (embora ainda vergonhoso) que homens não-cristãos têm acuados diante das feministas, e os seus ataques em cima delas e da família tradicional. Mas que os homens cristãos que têm a verdade da Palavra de Deus, também acovardou, é um fato para arrependimento. Deus chamou homens para defender a sua verdade no mundo e viver para fora de seus preceitos. No entanto, um olhar para a casa do cristão evangélico revela que ela também tem sido feminizadas, em grande medida. As feministas radicais, que odeiam a Cristo transformaram nossas casas, e os homens cristãos, de um padrão familiar biblico. Além disso, os maridos e pais cristãos, também têm demonstrado covardia em sua incapacidade de responsabilizar-se com o que Deus lhes deu. Eles têm sido dispostos a dividir a carga total de liderar e sustentar as suas famílias, têm sido mais do que felizes em compartilhar (ou descarregar) seus encargos sobre sua esposa. A família foi feminizado porque os homens cristãos se retiraram de seu dever.

O Feminismo e os Homens Cristãos - Qual sua atitude?





Sexta, a idéia de que uma família grande é uma "bênção" é rejeitada por noção de que uma família pequena de um ou dois filhos (e para alguns, sem filhos)é muito melhor. O conceito de "planejamento familiar" voltadas para reduzir o número de crianças em casa é defendida por praticamente todos. O ensino bíblico de que uma grande família é devido à bênção de Deus e soberania (Sl 127, 128) é desprezado pelas famílias modernas, mesmo aqueles que afirmam ser cristãs. A visão feminista de que nós determinamos o número de filhos que teremos, que somos soberanos sobre essas questões, agora é aceito sem perguntas. Naturalmente, esta suposta soberania sobre a vida e o nascimento leva a uma justificação do aborto, o melhor controle da natalidade.


Sim, a feminização da família tem tido lugar no Ocidente! O conceito cristão da família tem sido substituído pela idéia feminista da família: divórcio fácil substituiu uma visão da aliança de casamento; igualitarismo substituiu liderança masculina, o homem e a mulher como prestadores de articulação, tem substituído o homem como provedor, a mulher e mãe que trabalha fora de casa substituiu a mulher como dona da casa, a mãe como um empregado tem substituído a mãe como educadora dos seus filhos, "planejamento familiar" e "controle da natalidade" substituiu a família com filhos.


Dois fatores têm contribuído grandemente para o sucesso das feministas em derrubar a estrutura familiar e a prática que é baseada na Bíblia. O primeiro fator é a covardia dos homens, sim, até mesmo os homens cristãos. Até certo ponto é compreensível (embora ainda vergonhoso) que homens não-cristãos têm acuados diante das feministas, e os seus ataques em cima delas e da família tradicional. Mas que os homens cristãos que têm a verdade da Palavra de Deus, também acovardou, é um fato para arrependimento. Deus chamou homens para defender a sua verdade no mundo e viver para fora de seus preceitos. No entanto, um olhar para a casa do cristão evangélico revela que ela também tem sido feminizadas, em grande medida. As feministas radicais, que odeiam a Cristo transformaram nossas casas, e os homens cristãos, de um padrão familiar biblico. Além disso, os maridos e pais cristãos, também têm demonstrado covardia em sua incapacidade de responsabilizar-se com o que Deus lhes deu. Eles têm sido dispostos a dividir a carga total de liderar e sustentar as suas famílias, têm sido mais do que felizes em compartilhar (ou descarregar) seus encargos sobre sua esposa. A família foi feminizada porque os homens cristãos se retraíram perante seu dever.

Estudo tirado deste site: http://www.visionforumministries.org/issues/family/the_feminization_of_the_family.aspx Continuo em próximo post

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Dia 25 - Aprenda como as Rotinas Vão se Desenvolvendo

Quando falamos em rotina vem imediatamente em nossa mente um sentimento negativo. Aprendemos que a rotina não é bom. Alguém que algum dia não foi feliz com ela saiu propagando que é a rotina o mal de todas as coisas. E o que é pior, esta pessoa conseguiu adeptos no mundo todo. Acontece que sem rotina, o que temos então? insegurança? surpresas? mas as surpresas todos os dias não é rotina? e insegurança? quem gosta de viver na corda bamba?


O maior medo dos recém casados é a rotina. Mesmo antes dela se instalar, eles já têm medo dela. Lemos nas revistas femininas: "não deixe a rotina se instalar no seu casamento." A verdade não é o que dizem mas o que vemos no dia a dia. Conheço casais casados há mais de 60 anos que têm rotinas, e casais que, com medo dela, tentaram "criar" meios de afugentar a rotina no seu casamento e, o que conseguiram foi o divórcio.


É a rotina que te dá condições de uma vez ou outra sair dela. Por exemplo: se você tem a rotina de arrumar sua casa todos os dias, não há problema algum se um ou outro dia deixar sua casa de lado e cuidar de outras coisas, viajar, fazer alguma coisa diferente, pois seu serviço doméstico não se acumula, apenas está te aguardando, até que você possa voltar para sua rotina.


Agora, como se adaptar à rotina? Resposta: disciplina. Ela é a chave de tudo. Essa palavra é muito usada no meio militar, e talvez, devido ao nosso passado político militar, que nos trouxe muita repressão, temos a tendência de evitar tudo que nos trás recordação desta época. Mas e o que é a disciplina então? é a consciência de ter que fazer, não porque queremos, gostamos ou temos vontade, mas porque precisamos. Porque sabemos que é necessário para o nosso próprio bem ou o bem de outro.


Então é assim que se cria uma rotina de arrumação e organização da casa. Tenha a consciência de que é necessário. Não espere ter vontade de realizar uma tarefa, pois ela não vem. Entre limpar ou arrumar a casa e uma saidinha ao shopping, vamos preferir o que nos agrada, o que nos dá prazer.



Não tenha medo da rotina, ela não é um Bicho Papão. Pode ser a solução.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Feminismo,Carreira e Maternidade


- Continuação: Ataques Feministas à Família ...


Terceiro, o homem como
provedor tem sido rejeitado por um novo modelo de responsabilidade econômica comum. A visão do nosso tempo é que o homem não é mais responsável do que a mulher para suprir as necessidades financeiras da família. As feministas acreditam que o ensino bíblico onde o homem é o provedor da família (1 Tm. 5:9) é parte de uma conspiração do sexo masculino para prender as mulheres, tornando-as dependentes economicamente dos homens.


Em quarto lugar, a mulher como uma dona de casa em tempo integral é desprezada, e da mulher trabalhadora, que procura satisfação e independência no trabalho fora de sua casa é agora uma norma cultural. O mandamento bíblico de que a mulher fique em casa" (Tito 2:4-5) é desconhecido ou ignorado. As pessoas de mentalidade feminista consideram ser uma coisa humilhante para uma mulher ficar em casa e limitar o seu trabalho para a esfera de sua casa e sua família. Uma carreira é considerada mais apropriada e significativa para a mulher de hoje do que ser mãe.



Em quinto lugar, a norma bíblica de uma mulher como educadora dos filhos, foi substituída pelo ideal feminista de uma mãe trabalhadora que coloca seus filhos na "creche" para que ela possa exercer outras questões importantes. A responsabilidade da maternidade é vista em termos muito diferentes do que era no passado. O chamado bíblico para a mãe para ficar com os filhos, amar, treinar, ensinar e protegê-los (1 Tm;. 02:15 5:14) é rejeitado pela visão feminista da mulher que é liberada a partir de tais constrangimentos sobre sua individualidade e auto-realização.



Estudo tirado deste site: http://www.visionforumministries.org/issues/family/the_feminization_of_the_family.aspx Continuo em próximo post.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Dia 24 - Swish and Swipe






Banheiro é um cômodo da casa que SEMPRE tem que estar limpo. No sistema Fly, aprendi sobre o "Swish and Swipe”, uma limpeza rápida no banheiro. Eu chamo de Vapt-Vupt. É uma limpeza rápida e diária, faz parte da rotina. Normalmente eu faço isso assim que acordo e vou ao banheiro fazer minha higiene matinal. Deixo atrás do armário, no banheiro, os produtos que necessito: escovinha para o vaso sanitário, veja multiuso, e um rolo de papel toalha de alta absorção. Assim, não preciso caminhar até a área de serviço para pegar os materias de limpeza do banheiro, pois já deixo tudo lá.

Então, passo a escovinha dentro do vaso sanitário, coloco uma quantidade de veja multiuso na pia e na tampa do vaso. Uso a toalha de papel para limpar e secar embaixo, em cima, tirar as marcas de pasta de dente, limpar o espelho, guardar o que está fora de lugar. Depois organizo a bancada da pia, dobro as toalhas , reponho sabonete e papel higiênico (se necessário) e recolho o lixo da lixeira.

Já incorporei esta atividade na minha Rotina Matinal. É rapidinho, menos de 5 minutos e o banheiro já tem condições de uso. O resto do dia é só manter.
Como já li em algum lugar: no banheiro, podemos fazer o que quisermos e antes de sair, temos que deixar ele exatamente como encontramos ao entrar, ou seja: apagar qualquer pista do que fizemos ali: dar descarga, limpar a pia, recolher alguma coisa do chão se caiu, etc. Desta maneira o banheiro fica limpo o dia todo.

terça-feira, 22 de março de 2011

Ataques Feministas À Família






Quando dizemos que a família está feminizada não pretendemos sugerir que as feministas cumpriram suas metas no que diz respeito à família. Queremos dizer, sim, que uma revolução na vida da família devido à influência de feministas e de acordo com sua ideologia já chegou na nossa sociedade. Hoje, a instituição social da família é muito mais em sintonia com a visão de Betty Friedan (feminista) do que com o ensino do apóstolo Paulo. Isso representa uma vitória (pelo menos parcial) para a visão radical feminista da revolução social.

A feminização da família está em algumas áreas da nossa sociedade: Primeiro o Casamento.
O casamento foi desestabilizado pelo feminismo. O divórcio é visto" diabolicamente" como uma idéia psicologicamente mais aceitável para uma resposta a uma instituição defeituosa, o casamento.

O ensinamento bíblico de que o casamento é uma aliança, instituição divina que une o homem e mulher juntos para a vida por um voto sagrado (Gn 2:18-24;. Mt 19,3-9) foi repudiada pela sociedade moderna. O conceito bíblico foi substituído pela noção de que o casamento é uma instituição meramente humana, imperfeita, e que o divórcio é uma forma razoável de lidar com qualquer problema associado a ele.

Em segundo lugar, a chefia masculina da família foi substituída por uma sociedade igualitária, um "arranjo" onde o marido e "esposa" têm partes iguais nas responsabilidades de liderança da família. A idéia bíblica de que o homem é o chefe da família (1 Co 11:3-12;.. Ef 5:22-23) e senhor da sua casa (1 Pe 3:5-6) é considerada pelas feministas idéia tiranica e bárbara, um vestígio do homem primitivo e sua capacidade de dominar fisicamente sua esposa. Em nossos dias, a esmagadora maioria dos homens e mulheres zombam da idéia de que a esposa deve submeter à autoridade do marido.


Estudo tirado deste site: http://www.visionforumministries.org/issues/family/the_feminization_of_the_family.aspx

Continuo em próximo post.

sexta-feira, 11 de março de 2011

dia 23 - Escreva sua Rotina da Tarde




Para dizer a verdade a minha rotina da tarde está desorganizada, ou melhor, estou sem rotina (rs) cada dia é uma surpresinha (rs). Brincadeirinha é que estou passando por um período em que minha rotinha foi remanejada devido a mudança de horário no meu trabalho, devido a alteração dos horários de meu marido, que me ajuda, pois o pai dele está doente e ele tem que ajudar, bem como as aulas extras de Gabriela, de música e inglês. Então na verdade, tive que remanejar muita coisa, e outras tenho que deixar de lado, pois não dá pra fazer devido ao tempo.
Mas a questão é que colocando no papel, eu tenho uma idéia do que tem que ser feito e do que posso deixar sem fazer ou fazer depois.
Mesmo minha rotina da tarde está passando por mudanças, eu ainda posso chamar de rotina. Trabalho no período da manhã, e portanto, graças a Deus, à tarde tenho "livre" para cuidar da minha família. Chego em casa, guardo minhas coisas e tomo banho enquanto no microondas esquento meu almoço. No dia anterior já deixo meu almoço no prato, dentro da geladeira, para agilizar minha tarde, assim, basta apenas colocar no microondas para esquentar. Almoço, labo as vazilhas, e vou preparar Gabri para as aulas: segundas e quartas, aula de música; e terças e quintas feiras, aula de inglês. Na sexta-feira, graças a Deus, temos folga. Bom, depois de levá-la e buscá-la das aulas é que cuido da casa. Faço o que dá. Coloco roupa na máquina de lavar, varro a casa, passo mop e faço a missão do dia. Depois, vejo o dever-de-casa de Gabri e ainda estudamos alguma matéria. Como vê, tá sendo uma correria. Pois Osmar, que me ajudava no transporte de Gabri para os cursos extras, com a doença do pai dele, e lógico, ele tendo que ajudar sua família, seus horários também foram comprometidos.
O importante é que mesmo com a correria, problemas de trânsito, doença de família e outras coisas, não podemos deixar que nossos deveres sejam prejudicados mais do que já está sendo, né? Por isso acho importante verificarmos nossa rotina vespertina.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

dia 22 - Onde Está o Seu CONTROL JOURNAL?


Control Journal nada mais é do que um lugar onde você anota todas as coisas de que precisa juntas. Pode ser um caderno, fichário ou caderneta. O que importa é que tudo esteja anotado e guardado juntinho. Quando você precisar, não tem que correr feito doida procurando. Já postei o meu notebook/Control Journal aqui.


O C. J. não é estático, ou seja, a gente pode acrescentar ou retirar anotações a qualquer momento, desde que elas estejam atendendo as nossas necessidades. Constantemente eu faço modificações no meu CJ. Pra quem ainda tem dúvida de como fazer ou quer ver algum, neste site tem alguns modelos, foi onde me inspirei para fazer o meu. Não é nada fixo. Cada uma faz o seu de acordo com seu gosto, possibilidades e desejos.


Não deixe seu CJ guardado em uma gaveta ou no fundo do armário, mas coloque o à vista para que você sempre esteja atualizando-o. Tenho o hábito de deixá-lo no meu criado mudo e antes de deitar dou uma olhada e anoto o que fiz neste dia (missões) e vejo o que tenho que fazer no outro dia.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Dia 21 - Cheque as Perguntas do Dia no Site FLY Lady





Time que está ganhando não se mexe, não é assim que diz o dito popular? Quando vi que eu já tinha uma rotina na arrumação da casa, e que estava dando certo, pelo menos na medida do possível, continuei desenvolvendo hábitos que me auxiliassem na continuidade das minhas metas diárias.

E tudo o que é para juntar a minha própria experiência é muito bem-vindo. Afinal de contas eu não sou a única dona de casa do mundo, e não sou a dona-sabe-tudo.

Para isso é que serve a troca de experiências no grupo FLY. Se tem novidades e vejo que posso tentar e que vai me auxiliar na organização eu faço uma experiência. Se der certo continuo, se não, volto como estava fazendo até encontrar uma forma que satisfaça as minhas necessidades. Por exemplo: no sistema Fly a Bênção do Lar é feita em um só dia. Recebi uma dica no grupo que esta pode ser divida nos dias da semana. Resolvi tentar. E num é que pra mim deu certo! Hoje, cada dia faço um pouquinho: na segunda-feira eu varro a casa, na terça retiro o pó dos móveis, na quarta-feira passo MOP e quinta eu limpo o banheiro. Um pouquinho cada dia. Não consigo fazer tudo e um só dia, pois no final não faço direito devido ao cansaço.

O negócio é a troca de experiências.

Você pode gostar disso também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...