sábado, 4 de dezembro de 2010

O Feminismo e a Palavra de Deus






Feminismo é um movimento radical. Como tal, ele vai à raiz do relacionamento entre homens e mulheres e pretende alterar as estruturas sociais e institucionais que estão em conflito com as idéias e metas do feminismo. O feminismo é em sua natureza radical. E são das instituições sociais de que se queixam. De acordo com as feministras, toda a estrutura da sociedade foi projetado para manter as mulheres inteiramente no poder dos homens. Como uma ideologia radical, o objetivo do feminismo é a revolução, não apenas reformas. É a mais profunda mudança que existe. As feministas querem criar uma "nova sociedade", onde as condições sociais restritivas do passado têm sido sempre retiradas. Hoje, o feminismo é a ideologia de gênero da nossa sociedade. Das universidades para as escolas públicas, para os meios de comunicação. O feminismo decide as questões, estabelece os termos do debate, e intimida os adversários em potencial em um silêncio vergonhoso.


A instituição social que as feministas têm apontado como uma das mais repressivas para as mulheres é a família tradicional. Por "família tradicional" entende-se a estrutura familiar que se desenvolveu na sociedade ocidental sob a influência direta do cristianismo e da Bíblia. Na família tradicional, o homem é o cabeça do lar e o responsável por fornecer os componentes necessários para o sustento da vida. A mulher é "do lar", e a principal responsável pelo cuidado das crianças. A família tradicional está assim definida em consonância com o plano bíblico para a casa. As feministas odeiam a família que é formada a partir da Palavra de Deus, porque é contrário a tudo o que elas aceitam como verdade. Assim, seu objetivo é a total destruição da família tradicional. O Objetivo do feminismo é a total destruição dos três pilares da classe machista: a sociedade - a família, a propriedade privada e o Estado. As feministas buscam a derrubada da família tradicional, e em seu lugar, procuram uma instituição social radicalmente diferente, que é moldada pelos dogmas feministas.


Quando consideramos a natureza radical do feminismo e sua meta para derrubar a família que está estruturada segundo o modelo bíblico, seria prudente fazer uma pausa e refletir sobre o sucesso das feministas em refazer a família de acordo com seu próprio projeto. O fato é que, na sociedade ocidental, o feminismo tem tido um enorme sucesso em destruir a família tradicional. A "feminização da família" significa a reconstrução da família, segundo as crenças e objetivos do feminismo. Esta feminização ocorreu nos últimos 30 anos e com pouca oposição dos homens. Os homens se afastaram com medo de acusações de sexismo feminista, da repressão, da tirania e exploração. Como um covarde, murchou antes de ser atacado por um inimigo no campo de batalha. Nada parece amendrontar os homens mais do que o olhar zangado e palavras dos ideólogos feminista.
(parte I do texto adaptado do site:http://www.visionforumministries.org/issues/family/the_feminization_of_the_family.aspx)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Dia 20 - Inclua cuidar de Sua Lavanderia em suas Rotinas





É muito bom abrir uma gaveta organizada e lá encontrarmos uma roupinha limpa, passada e cheirosa. Agora como isso aconteceu é outra história. Não existe mágica. Muitas vezes o trabalho para isso acontecer não é tão bom assim.

Alguém fez por onde isso acontecer: alguém separou, lavou, passou e guardou. Foi um longo trabalho, muitas vezes vários dias, porque nem sempre conseguimos lavar e passar todas as roupas no mesmo dia. E o chato é que isso é repetitivo: toda semana a lavagem tem que acontecer porque do contrário você vai ouvir: - Mãe, cade minha blusa azul? Eu queria vestir ela hoje!

Como sou eu que cuido também, sozinha, da lavanderia, adotei um sistema para que esse serviço possa estar sempre em dia: 1- toda a roupa suja é colocada dentro do cesto de roupas sujas que fica no banheiro. Não saio catando roupa pela casa e perguntando ao usuário se é pra lavar ou não. Tá no cesto? Automaticamente é lavada. Não está? Não lavo e não tem discussão; 2- separação das peças para serem lavadas cada dia da semana, pois não tenho tempo de lavar toda a roupa durante um só dia apenas. Então lavo um pouco todos os dias: segunda-feira lavo as peças de roupas escuras; terça, os panos de cozinha que ficam de molho no balde com sabão em pó, cloro e pinho sol para não deixar a água fedendo.Conforme vai sujando, vai pro balde até a terça-feira; Quarta é o dia das roupas claras; quinta-feira lavo as peças brancas à mão e; na sexta passo e guardo as roupas e lavo os panos de limpeza que uso durante a semana juntamente com sandálias e tênis (estes no saquinho de lavar).

Colocando a roupa na máquina de lavar:
Acho que depois da roda, essa foi a melhor invenção, pois, enquanto a máquina trabalha eu posso fazer outras coisas. Tudo o que for possível ser lavado na máquina de lavar, vai pra lá. Quando lavo roupas escuras coloco no ciclo lavagem média, para não descolorir as peças. Também uso os saquinhos de lavar roupas delicadas onde coloco as peças íntimas ou muito pequenas. Aproveito a água do último exague para aguar as plantas e passar MOP no chão da casa.

As roupas claras eu uso o ciclo total. Sempre usando os saquinhos de roupas delicadas e aproveitando a água do último enxague para limpeza do piso.

Não uso alvejante, aprendi que o álcool faz o mesmo trabalho, não estraga as roupas e ainda tem o poder de higienizar melhor as roupas.

Secagem:
Ai está o segredo para não ter que passar tanta roupa. Antes de colocar a roupa no varal eu sacudo muito bem as peças para os fios abrirem-se novamente, depois da centrifugação, e voltar para o seu lugar. Todas as peças de pendurar no guarda-roupa são colocadas no cabide, assim elas já secam como têm que ficar. Tenho na lavanderia alguns cabides para este fim. As Calças compridas, bermudas e xortes são pendurados no varal com as partes das pernas unidas para criar o vinco quando secar, assim fica muito mais fácil passar, se necessário for, de acordo com tecido.

Gosto de colocar as roupas para secar na sombra, pois não gosto de ficar preocupada com o clima: se chove, elas não secam; se ficam muito tempo torrando no sol, ficam mais difícil de passar.

Assim estendo-as à sombra e deixo até o outro dia.

Enquanto recolho as roupas já vou dobrando peça por peça, e alisando com as mãos. Aprendi com minha cunhada Milena, que também não passa roupas. Deste modo é só guardar no local devido que o resultado é o mesmo de uma roupa passada a ferro. Na sexta-feira, passo apenas as roupas íntimas e/ou algumas peças rebeldes que insistem em ficar amarrotadas.

A lavagem das roupas, ou serviço de lavanderia, já está na minha rotina. Sempre antes de iniciar o que tenho que fazer no dia, já coloco a máquina pra funcionar. Quando ela termina o ciclo, eu também já estou encerrando minhas atividades diárias, ai, é só pendurar as roupas e cuidar de outras coisas, porque nosso serviço não para não é mesmo?

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Dia 19 - Leia um Testemunho






Quando passamos por uma estrada trilhada por outros é mais fácil do
que desbravar caminhos. Se estamos desanimadas, nada melhor do que ouvirmos/lermos palavras de ânimos. Quando estamos quase desistindo e achando que nossos esforços não valem à pena, podemos ler o testemunho de uma de nossas colegas no grupo do Yahoo FLYmigas, http://br.groups.yahoo.com/group/flybabiesnoBrasil/ que estava desanimada e colocou sua pia para brilhar, organizou sua casa, revigorou sua mente e abriu espaço para cuidar de si mesma, acreditamos que também podemos. Acreditamos que também temos a capacidade de mudar nossa situação, assim nos ajudamos mutuamente.
Assim, renovamos nossa mente e nosso coração Efésios 4:23 , então a vida fica muito mais fácil.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Lázaro e um Homem Rico

( foto da internet)


Na Palavra de Deus, em Lucas 16: 19-31, o que chamou minha atenção foi que o homem rico não teve seu nome mencionado. Ele é insignificante para Jesus, que nem se deu ao trabalho de chamá-lo pelo nome. Já o pobre é conhecido por Deus quando tem seu nome citado: Lázaro.
Diferente da nossa sociedade materialista que destaca, conhece e reconhece as pessoas que têm posses, bens materiais e dinheiro, e despreza os sem dinheiro, sem grau de instrução e miseráveis da vida.
O rico desta história não se preocupava com sua vida eterna. Ele vivia o hoje e o agora, em luxo e em festas (v. 19). Mas ele tomou algumas decisões, pena que tarde demais:
1- Olhou para o céu (v. 23);
2- Clamou (v. 24);
3- Pediu água (a Água da Vida é Jesus, João 4:10) (v. 24);
5- Quis testemunhar a Palavra a seus familiares (v. 27).

E Lázaro, mesmo com todo o sofrimento aqui na terra, não deixou que sua alma também sofresse eternamente (v. 25).
Que nossas decisões sejam em tempo hábil para nossa regeneração.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

18 Dia - Leia os 11 Mandamentos da FLY Lady


Chegou a hora da revisão. No décimo oitavo dia vamos recapitular o que já aprendemos. Só tornar-se hábito se houver contância. É claro que tem dia que foge à regra, mas a rotina tem que ser retomada o mais rápido possíve.
Então vamos aos 11 Mandamentos FLY:
• 1 - Mantenha sua Pia Limpa e Brilhando;
• 2 -Vista-se toda manhã, mesmo que você não se sinta bem para isso. Não se esqueça de colocar os sapatos;
• 3 - Faça suas Rotinas da Manhã e as Rotinas Noturna (antes de ir para
cama) todos os dias;
• 4 - Não deixe o computador lhe distrair;
• 5 - Observe as suas atitudes você mesma. Se você tirou algo, ponha-o de volta no lugar;
• 6 - Não tente fazer dois projetos de uma vez. UM TRABALHO POR VEZ;
• 7 - Não coloque para fora coisas a mais que você não possa devolver em 1 hora;
• 8 - Faça alguma coisa por você todos os dias. Talvez a cada manhã e noite;
• 9 - Trabalhe o mais rápido que você pode. Isto te dará mais tempo para divertir-se mais tarde;
• 10 - Sorria, mesmo quando você não estiver disposta a isso. Um sorriso é contagioso. Faz sua mente ficar feliz e você será feliz;
• 11 - Não esqueça de gargalhar todos os dias. Mime você mesma. Você merece isso.

domingo, 17 de outubro de 2010

Servo do Senhor





Muitos dizem ser servos do Senhor Deus, mas o que vem a ser de fato "servo do Senhor"?

É confiar e se entregar aos caminhos do Senhor. É ser como criança que obedece cegamente aos pais. Simplesmente obedecem por causa da autoridade deles. Sem saber porque nem pra quê, Confiam em seus pais por presumirem que têm mais experiências e sabem mais as coisas.

Não foi à toa que Jesus falou em Lucas 18:16 (Mas Jesus, chamando-os para si, disse: Deixai vir a mim os meninos, e não os impeçais, porque dos tais é o reino de Deus).
Ou seja, o reino de Deus é formados por aqueles que O obedem como crianças: Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor. Colossenses 3:20

Isso sim é ser Servo do Senhor, é seguir os caminhos de Jesus. Obedecê-Lo sem questionar. Submissão total à vontade do Pai. Minha oração é que o Senhor mostre-me, através de sua Palavra, o seu caminho para que eu possa percorrer em TOTAL obediência a sua vontade. Amém.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Dia 17 - Decida um Horário de Dormir e Fixe-o





Já falei aqui que sou diurna, do dia. Noite pra mim, foi feita pra descansar, repor as energias. Como então, durante o dia eu tenho que botar pra quebrar, se eu for dormir em um horário que eu não consiga recarrergar minhas energias para levantar bem e animada no dia seguinte, o bicho pega.


No 17º dia do sistema FLY é sugerido que tenhamos uma rotina também no horário de ir para a cama. Por volta das vinte e duas horas, já vou terminando de fazer o que estou fazendo, e me preparando para sonhar com os anjinhos. Então, às vinte e duas horas e trinta minutos, aproximadamente, já estou na cama conversando com o Senhor, planejando mentalmente meu dia seguinte e pegando no sono.

Sabendo o que vou fazer no dia seguinte, posso determinar o horário de sair da cama. Se for feriado, férias ou fim de semana e não tenho nenhum compromisso pela manhã, sei que posso acordar mais tarde, então não me preocupo com o horário de dormir. Mas em um dia normal de trabalho, tenho que cuidar de estar bem disposta, dormindo em um bom horário que me dê essas condições.


Conheço muitas mulheres que não conseguem acordar cedo para cuidar da vida porque não estabelecem um horário adequado para dormir. Parecem que adiam ao máximo esse momento: TV, Internet, livro, conversa, etc. Então, não tem jeito, a natureza cobra esse tempo perdido à noite, fazendo com que não acordam cedo ou que então acordem indispostas e de mau humor, sem nenhuma vontade de trabalhar ou de fazer qualquer coisa que não seja voltar para a cama.
Não vivemos ao léu. Temos obrigações a cumprir. Sabendo disso, temos que providenciar condições para que possamos cumprí-las. Temos que ser responsáveis, nem que seja com nós mesmas.

sábado, 2 de outubro de 2010

ENQUANTO HÁ VIDA HÁ ESPERANÇA





Hoje quero falar sobre o ano letivo. Já estamos no fim do ano e provavelmente o resultado final do seu filho você já sabe: passar ou não passar de ano. Se as notas dele são boas, a probabilidade de uma aprovação é garantida, agora se as notas não são satisfatórias o resultado ainda é uma icógnita. Pode ser que ainda dê tempo de ser feito alguma coisa: enquanto o fim do ano letivo não terminou, ainda há chance de uma virada.

Quero aqui sugerir algumas coisas aos pais que querem ajudar seu filho a correr contra o tempo. É muito provável que a criança já tenha jogado a toalha e está pensando em fazer diferente no próximo ano. Acontece que uma reprovação não implica somente em “fazer diferente” na próxima oportunidade. Vem junto um sentimento de derrota, fracasso e impotência que pode acompanhá-lo pelo resto da vida.

Então, minhas dicas:

1- Pegue no chifre do boi junto com ele: não é apenas mandar estudar, cobrar dele ou insistir, mas estudar JUNTO com ele. Ele está derrotado, precisando de insentivo, e o maior insentivo é ele perceber que você não desistiu dele;

Sua desculpa pode ser: não sei a matéria. E nunca saberá se você não estudar junto com ele. Só pelo simples fato de você já ter passado por isto que ele está passando agora, você já tem um ponto a mais nesta corrida, mesmo que seja apenas sua experiência de vida e não o domínio da matéria estudada.

Pra isso você tem que abdicar de algum tempo. Você tem que colocar na balança o que é mais importante pra você. Seu trabalho ou seu filho? Porque você trabalha? Também não é por causa dele?

Infelismente, você não poderá ir (fisicamente) à escola com ele, se sentar em uma carteira ao seu lado, mas você poderá ir (virtualmente): acompanhe detalhadamente TUDO o que foi dado na escola. Tenha e saiba de cor o horário e dias das matérias estudadas na sala de aula. Veja o caderno TODOS os dias, os livros e cadernos de exercícios. Depois, vocês dois, juntos estudem tudo o que foi ensinado na escola.

2- Vá à escola: converse com os professores, orientadores educacionais e a diretoria da escola. Deixe claro que você está a par de tudo e quer ajudar seu filho e que precisa da ajuda deles. Eles estão lá pra isso.

3- Contrate um professor particular, mas lembre-se de que não é porque você contratou um professor particular que é líquido e certo que seu filho vai ter bom resultado. Se você não acompanhar seu filho, mesmo com um professor particular, você só estará jogando a sua responsabilidade para outro que não tem nada com isso além do dinheiro que vai receber (assim como a escola, caso seja uma escola particular);

4- Tenha um bom local de estudos: uma mesa, uma cadeira confortável, um local com boa iluminação e ventilação. Retire tudo o que possa desconcentrar: televisão, rádio ou gente conversando por perto. Se necessário vá para o quarto;

5- Tenha materiais para estudar: É necessário ter algumas coisas para estudar em casa, tais como: lápis, borracha, caneta, caneta marca texto, régua, mapas (atlas), gramática, dicionário português e ou estrangeiro (inglês e ou espanhol), caderno e muuuuuuuuuuuuuuitas folhas para rascunho;

6- Tenha um local para guardar os materiais do estudo de vocês: é importante que os materiais estejam em apenas um local e somente eles ali, pois assim quando precisar de alguma coisa rapidamente vocês podem encontrar;

7- Adquira uma Pasta-Catálogo: está pasta é importante, pois você vai colocar nela todos os textos, provas ou exercícios em folhas avulsas. Desta maneira sempre que necessário você não tem que abrir caderno por caderno ou livro por livro pra procurar a folha que deseja;

8- Agenda escolar: na agenda o aluno vai anotar (e você vai cobrar isso dele, pois só assim você ficará ciente dos seus compromissos) os dias para entrega de trabalhos (temas e modo de fazer), seminários, provas e outros, bem como a matéria da prova (conteúdo e páginas de livros a serem estudados). É ali também que anotarão, em um espaço reservado para isso: as notas obtidas nas provas e trabalhos de cada disciplina, podendo assim, fazer um acompanhamento da evolução das notas, ou seja: saber o que tem e o que precisa para alcançar, no mínimo a média, para passar no fim do ano;

9- Disciplina militar nos horário de estudos em casa: tenha sempre a disciplina de estudar em um determinado horário. Faça tudo o que tem que ser feito antes ou depois deste horário, mas no tempo determinado para o estudo, seja firme. O tempo médio é de 2 horas, com intervalos de 15 minutos. Como o tempo está se esgotando (fim de ano), este tempo de estudo pode ser estendido pra 3 horas, em dia de semana. Aos sábados: 2 horas pela manhã e 2 horas à tarde. Não existe feriado para quem está atrasado na corrida, portanto, nos feriados os estudos podem ser feitos como no sábado. O domingo está reservado para o dia do Senhor e descanço já que ninguém é de ferro, né?

10- Metodologia de Estudo em casa: o que estudar primeiro? Qual a ordem das coisas? Minha sugestão: a) de acordo com o horário do dia: verifique quais as matérias serão dadas neste dia, se tem dever de casa ou trabalho para levar e faça. Depois, coloque imediatamente na muchila para não esquecer; b) estude a matéria do dia anterior: verifique o que os professores deram no último dia de aula, faça um resumo, leia o livro, desenvolva um questionário e perguntem um para o outro, tentem resolver os problemas dados pelos professores, etc, anotem as dúvidas no caderno ou no livro para que na próxima aula possa ser tirada pelo professor da disciplina; c) trabalhar em projetos: o que são esses projetos? Quando o professor agenda uma prova para tal dia e fala que vai cair na prova isso e isso, da página 1 até a página X; quando o professor marca um trabalho para ser entregue no dia x; quando é pedido para entregar o resumo de um livro no dia estipulado, etc. Normalmente, são atividades que não dá para ser feitas em um só dia. Mas elas têm que ser feitas, então a gente divide-as em pedaços até concluir. d) Estudar: aqui, vamos dedicar tempo para estudar aquilo em que estamos com dificuldade. A matéria foi dada pelo professor, não tem prova marcada ainda (não é projeto), não é dever de casa para o dia, nem foi dado no dia anterior, mas você sabe que mais pra frente isso vai acontecer, então comece logo a estudar;





Não acho que tudo isso seja fácil não, mas tem que haver empenho e dedicação. Só mais um pouquinho, no final vai valer a pena.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Dia 16 Leia o Email do Grupo

              






Os tempos mudaram e não adianta nostalgia. O que foi, foi e não voltará. No passado, nos mulheres nos ajudavamos mutuamente. Seja com nossas mães, sogras, irmãs mais velhas ou mesmo vizinhas. Agora, porém, nos tempos modernos, continuamos a fazer a mesma coisa, porém virtualmente. Muitas vezes nem conhecemos a “cara” da outra, mas a nossa cumplissidade pelo simples fato de sermos mulheres e passarmos quase que pelos mesmos problemas nos faz ajudar e solicitar por ajuda com a mesma confiança e liberdade que ia se a casa da vizinha pedir por uma xícara de açúcar pra fazer o café, pois amanhã poderia ser a outra que necessitaria de algo.

Assim é o grupo de discussão FLY, mais do que simplesmente oferecer orientação para realização de serviço doméstico, é também um local para trocarmos figurinhas, dicas, desabafos e partilharmos vitórias. Trocamos informações com pessoas que não conhecemos fisicamente, muitas vezes de cidades distantes da que moramos e que, provavelmente, se não fosse pela internet nunca teríamos a chance de conversar.

Umas ficam na “janelinha” apenas lendo e aprendendo com as outras nas trocas de mensagens. Compartilhamos experiências, pois o que é bom e dá certo tem que ser divulgado.

Concluo que o modo como as coisas são feitas podem passar por progresso e modernidade, mas a essência do ser humano não. Esta continua como sempre foi: necessitamos uns dos outros. E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada. (Hebreus 13:16)




segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Minha melhor Hora



Qual a sua melhor hora? Cada um de nós tem seu relógio biológico. Tem gente que acorda bem disposto e pronto pra qualquer tarefa, já outros adoram a noite pra fazer o que tem que ser feito.


Eu, particularmente, sou diurna. Dia pra mim foi feito pra trabalhar e noite pra dormir, repor as energias. Mas mesmo durante o dia, algumas tarefas, não consigo fazer logo quando acordo. Levanto bêbada de sono e doida pra voltar pra cama, se não fosse responsável acho que deixava minha vontade falar mais alto.

Malhar, por exemplo. Não consigo fazer exercícios físicos às 07 da manhã. Ainda estou em marcha lenta. Mas lá pelas 5 horas da tarde consigo numa boa. Tenho uma colega de trabalho que acorda às quatro horas da manhã e vai correr com o pique todo. Juro que não entendo. É justamente neste horário que estou no meu melhor sono.

Trabalho doméstico: durante o dia enfrento uma faxina numa boa, mas à noite, depois que o sol vai embora, quero ir junto com ele. Outra colega de trabalho disse pra mim, que sua melhor hora de faxina é depois das 11 horas da noite. Juro que não entendo, pra começar à noite não enchergo direito, então uma mancha ou sujeira passa batido por mim. Sinto como se estivesse perdendo meu tempo.

Estudos: Nunca consegui estudar noite à dentro. Mesmo se tivesse prova no dia seguinte. Até já tentei. Lembro que um dia tinha tanta coisa pra estudar que resolvi varar a noite (como alguns colegas de sala falavam que fazia). A casa no total silêncio, todos dormindo e eu que tenho o costume de falar alto para estudar, não podia pois, poderia acordar a família. Achei super chato. Cançada, com sono e entendiada, senti-me torturada: eu também merecia deitar e dormir. E foi o que eu fiz.

Devocional: falar com Deus pode ser a qualquer hora, mas estudar e meditar na sua Palavra, somente em um horário que minha mente esteja voltada pra isso. Tudo bem que tem um monte de gente que defende a manhã como o melhor horário. Eu não. Pra mim, devocional é à noite, um pouco antes de dormir, pois assim, eu posso pegar no sono enquanto “rumino” o que Deus revelou pra mim através da Bíblia. É a hora também que faço meu diário espiritual: anoto em um fichário o texto lido, a mensagem do texto e como faço para aplicar no meu dia a dia a Palavra de Deus estudada.

Cada pessoa tem que se conhecer e buscar aquilo que é melhor pra ela. Afinal, somos indivíduos únicos. Cada um com seu cada um.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Dia 15 - Faça a Sua Cama

 
                                                                                                  (foto da internet)
 
 

Nada como dormir em uma cama com lençóis limpos e macios. Uma noite bem dormida pode significar bom humor na manhã seguinte. Mas quando levantamos é necessário arrumá-la: dobrar os lençóis, guardar e forrar a cama. No sistema FLY aprendemos que isto tem que se tornar uma rotina para nós. Mas porquê? Por dois motivos: 1- Uma cama arrumada causa um bom visual no quarto. Dá uma sensação de casa arrumada, com tudo no lugar.

Mesmo que a gente não tenha tempo naquele dia em arrumar detalhadamente a casa, se pelo menos conseguirmos fazer alguma coisa, como arrumar nossa cama, já vai dar alguma diferença no ambiente.

Durante o meio da semana, como tenho que sair cedo para trabalhar e enfrento um transito terrível, não tenho tempo em arrumar as camas, quem faz este serviço é meu QM (Querido Marido). Quando chego em casa à tarde, é menos uma coisa para fazer. Final de semana ou feriado, sou eu quem arruma a cama quando acordamos.

Já li em algum lugar na net que tem gente que acha que não é necessário arrumar a cama quando se levanta porque à noite vai usá-la novamente. Tudo bem que se você sai cedo de casa e só retorna para dormir o visual do seu quarto ou casa pode não ter importância, afinal a casa vai ficar fechada, ninguém vai estar lá mesmo para admirá-la, mas o problema não é o visual, mas o que está lá e não podemos ver a olho nu: a poeira e tudo o que ela trás junto.

2- Toda superfície plana acumula poeira. No chão a gente passa MOP ou pano úmido. Os móveis limpamos com pano úmido. Mas e a cama? Se não a protegermos da poeira, temos que trocar os lençóis toda noite ou dormiremos na sujeira. Mesmo com a casa toda fechada o pó penetra pelas fretas e vai se acomodando em nossas casas. Então ao guardarmos os lençóis e travesseiros e forrarmos uma colcha na cama mais do que aparência é sinal de higiene, afinal nosso corpo vai repousar sobre os lençóis, nosso rosto junto ao travesseiro. E tudo o que queremos é proteger nossa família do risco de doenças.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Entrega Total

                                                                                              (foto da internet)

Dia desses estava eu atarefada com tanta coisa pra dar conta e um simples chamado de – Mãe! - Já estava me deixando nervosa. Eu não conseguia terminar nada, pois a todo o momento eu era interrompida por Gabriela ou Osmar que queriam minha atenção. Foi um dia tenso, pesado. Eu estava de mal humor. Sabe aquele dia que você está no seu limite? Assim estava eu.


E como já era de esperar, eu explodi: larguei tudo do jeito que estava e fui pro quarto chorar. Um choro de desabafo, de cansaço, como que dizendo: chega, não agüento mais. Chorei compulsivamente como há muito não fazia.

Então comecei a falar com Deus: porque eles, meu marido e minha filha, não cooperavam comigo? Porque eles não me ajudavam? Porque deixavam tudo para eu resolver? Será que eles não estavam vendo meu desempenho por eles? Será que eles não estavam vendo meu esforço em ser uma boa esposa, mãe, dona de casa, mulher, profissional? Como posso estar no controle de todas as coisas se não estou sendo reconhecida pelas pessoas que amo?

Minha oração era: eu sou muito boa. Faço todas as coisas. Sou perfeita. Sou eficiente e não sou reconhecida. Eu tenho que ter o controle sobre todas as coisas e eles não estão cooperando comigo para que eu possa manter o controle das coisas. Foi então que o Espírito Santo de Deus falou ao meu coração: Regi, você não tem o controle de nada. Sou Eu que controlo tudo. Você não tem que se preocupar com nada. Tudo o que você faz é somente porque Eu permito.

Então me dei conta que minhas preocupações em cuidar de tudo eram em vão. Relaxei. Fui consolada e meu espírito antes abatido e conturbado foi se acalmando. Coloquei tudo então nas mãos de Deus. Se for para o Senhor ter controle sobre minha vida, vai ter o controle de tudo, não somente partes.

Como é engraçado: quando comecei minha oração, eu estava falando com Deus que eu era auto-suficiente e queria continuar a ser e não me deixavam. E no final da oração, o Espírito de Deus me fez enxergar que eu não era nada. Que é Deus que está no controle de todas as coisas. E que sou totalmente dependente dEle.

Durante muito tempo da minha vida aprendi a ter o “controle” sobre as coisas. E a sociedade nos cobra isso. A todo instante nos é ensinado buscar a eficiência e alcançar a perfeição. Estou aprendendo relaxar e entregar as coisas nas mãos de Deus.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Dia 14 - Leia as Dicas que a FLY Kelly nos dá (como usar o Calendário)

(foto da internet)






Quando a gente começa a se organizar começamos também ver nossas necessidades e vamos nos adaptando a elas. Aqui em casa até que não esquecemos nossos compromissos. O problema estava na comunicação. Eu tinha meus compromissos, Osmar os deles e não compartilhávamos um com o outro. Resultado: alguém sempre tinha que cancelar alguma coisa, se desse, ou fazer aquela ginástica pra atender aos dois ou mais compromissos.

Uma dica Fly é adotar o Calendário Familiar. Um calendário, onde todos da família agendam seus compromissos e os expõem. Assim, todos ficam sabendo de tudo. Eu faço meu calendário familiar em formato A4 no Word e coloco na porta da geladeira. Deste modo, sempre estamos olhando pra ele e sabendo o que e quando vai rolar. Assim, não pega ninguém, de surpresa.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

A Eterna Busca pelo Elo Perdido

(foto da internet)

Esperança


(Continuaçãodo post anterior) Nós mulheres precisamos sim de um príncipe e de um herói. Não está errado em procurar por eles não. O errado é onde estamos procurando. Nosso príncipe está aqui: Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. (Isaías 9:6) . Nosso herói, aqui. Eu, só eu, sou o Senhor, somente Eu posso salvar vocês. (Isaías 43:11) .

Realmente não precisamos de homem algum. Nunca precisamos. Desde o início quando fomos criadas. Observe que nossa existência teve início a partir da vontade de Deus: E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. (Gênesis 2:18).

Não precisamos do homem para sermos formada. Quem nos formou foi Deus. E Ele trabalhou sozinho. Para que o homem não atrapalhasse Seu trabalho, o Senhor fez o homem cair em sono profundo: Então, o SENHOR Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu; tomou uma das suas costelas e fechou o lugar com carne. E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão. (Gênesis 2:21.22).

Tá vendo? O homem não teve participação ativa nenhuma (ainda bem, né? imagina se tivesse então?). Foi Deus quem fez tudo sozinho. Porque então que a gente passa a nossa vida toda procurando um homem que possa nos trazer felicidade e realização de vida?

R. Perdemos o elo com Deus. De geração em geração, e assim, aprendemos errado. Temos que rever todo o nosso aprendizado, desde o início. Rever nossos conceitos e valores. Fechar nossos olhos e ouvidos àquilo que for diferente da palavra de Deus. Temos que urgentemente recuperar o elo perdido entre nós, mulheres, e Deus.

Precisamos daquele que nos formou, que nos deu vida: Pois tu formaste o meu interior tu me teceste no seio de minha mãe. (Salmos 139:13) . Será que vamos passar a humanidade toda dando ao homem também o lugar de Deus? Já não basta sermos submissas? Esposas, sede submissas ao próprio marido, como convém no Senhor. (Colossenses 3:18) .

Nossa Alegria e felicidade não está em homem algum, está qui ó: todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação. (Habacuque 3:18).

Não posso esperar nada de homem nenhum porque: Eis que Deus é o meu ajudador, o SENHOR é quem me sustenta a vida. (Salmos 54:4) .

Confesso que durante bom tempo de minha juventude procurei por este príncipe e/ou herói. E depois de tanto procurar, encontrei meu verdadeiro Príncipe e meu Salvador, recuperei o Elo Perdido. Sei que meu marido é igualzinho a mim, não pelos motivos feministas, mas porque ele foi criado por Deus, e precisa dele tanto quanto eu. Passei e estou passando por mudanças para que todos os conceitos aprendidos sejam eliminados e, outros que realmente possam trazer melhora de vida possam ser plantados e enraizados. Estou recuperando o tempo perdido que junto foi-se com o elo com meu Criador. Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto migrador, pelo destruidor e pelo cortador, o meu grande exército que enviei contra vós outros. (Joel 2:25) . Hoje não cobro mais nada de meu marido. Levo tudo Àquele que nos criou: Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. (Filipenses 4:6).



O SENHOR, teu Deus, está no meio de ti, poderoso para salvar-te; ele se deleitará em ti com alegria; renovar-te-á no seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo. (Sofonias 3:17).


terça-feira, 3 de agosto de 2010

A Eterna Busca pelo Elo Perdido



(foto da internet)

Desilusão


(continuação do post anterior) Agora ela sabe que não existe príncipe encantado nenhum. É, porque depois que “descobre” que a felicidade da vida só depende dela, já não enxerga nenhum prínpice, só sapo. E como é senhora do seu nariz, sua própria heroina, não precisa de nenhum salvador da pátria. Embarca em um casamento de igual pra igual. Seus desejos e vontades têm que serem feitos do jeito que ela quer. Seus direitos e deveres são iguais ao de seu esposo. Há uma disputa em quem manda na casa, pois ela trabalha e contribui financeiramente tanto quanto ele. Ela é, de fato, uma cria do feminismo (é um discurso intelectual, filosófico e político que tem como meta direitos equânimes e uma vivência humana liberta de padrões opressores baseados em normas de gênero. Envolvem diversos movimentos, teorias e filosofias advogando pela igualdade para homens e mulheres e a campanha pelos direitos das mulheres e seus interesses).

Tai um dos motivos de muitos casamentos não darem certo: a mulher procurando um príncipe ou heroi ou já não precisando deles mais, no decorrer de sua vida de casada, depara-se com a realidade: casou se com um homem, apenas um ser humano. Cheio de qualidades e defeitos, de carne e osso, com sentimentos e necessidades que precisam ser preenchidas. O decepção!

E ainda têm mulheres que não desistem! Quando se depara com a verdade, parte para mudar o marido (inutilmente) pra ver se ele ainda tranforma-se em príncipe. Na esperança de que: antes tarde do que nunca. Outras partem à procura de seus heróis no terceiro, quarto ou mais casamentos. É só olhar para as atrizes que fazem o papel de mocinhas. Na ficcão tá tudo muito bom, mas na vida real, os problemas são os mesmos de uma mortal qualquer.

E aquelas que não os encontraram? Continuam ainda procurando. Porque raizes são raízes. Durante a minha vida me deparei e ainda hoje deparo com mulheres Doutoras (com título mesmo) frustradas porque não encontraram seus príncipes e ou salvador/herói. Beijando, inutilmente, tudo que é sapo pra ver se algum vira príncipe. Então, tornam-se mulheres solitárias, tristes e amargas porque não encontram aquele que elas achavam que iria fazê-las felizes. (continua no próximo post)

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

A Eterna Busca pelo Elo Perdido

(foto da internet)




Inoscência
Quando criança, nós mulheres, aprendemos nas historinhas infantis, tais como: A Bela Adormecida, Cinderela, Branca de Neve e etc que para ser feliz, precisamos encontrar nosso Príncipe Encantado. Todo o sofrimento das "princesas" acabava quando encontravam o príncipe e ai "eram felizes para sempre". Depois, a partir da adolescencia, nossos "mestres" passam ser os romances, filmes, novelas e etc.. Todos com o mesmo final: a heroína sofre horrores até que o heroi aparece e resolve todos os seus problemas.

Mas conforme o tempo vai passando e não encontramos nosso tão sonhado príncipe ou herói, começamos a achar que é porque não somos lindas como as princesas e heroínas: Branca de Neve (uma pele linda e sem manchas), A Bela Adormecida (de tão bela que era mesmo dormindo encantou o príncipe), as “Helenas” das novelas de Manoel Carlos, da Globo, e outras atrizes de Hollywood que interpretam as mocinhas nos cinemas. Arra! Encontrou seu problema! “Se minha pele fosse linda como a da Branca de Neve, eu ficasse magra como..., se eu tivesse aquele cabelão igual a ... se eu malhasse como .... meu corpo ficaria igual ao dela, se eu fosse assim ou assado, tudo estaria resolvido. Encontraria o meu príncipe/heroi”.

Por mais que se martirize em tentar ficar igual às estrelas de cinema, não encontra seu prínpice, e já vai dar meia noite, quando todo o encanto desaparece. Assim como no conto da Cinderela, nós mulheres temos que encontrar nosso príncipe logo que se inicia o baile, ou seja, durante a mocidade, porque depois das 12 badaladas noturnas, o encanto se desfaz (ficamos velha). Acho que é por isso que nós mulheres embarcamos em qualquer modismo, desde roupas, penteados, dietas até cirurgias plásticas, na intenção de encontrarmos nosso príncipe encantado.

Se não dermos a “sorte” de encontrarmos nosso príncipe ou salvador, direcionamos nossas energias para outro lado: - esse negócio de príncipe e salvador (mocinho) é coisa de mulherzinha e agora aprendemos que não nascemos para isso. Estudamos para termos uma profissão que nos traga independência financeira, pois só assim não seremos “do lar”. Somos agora uma mulher bem informada e instruída, moderna, sempre à frente de nosso tempo. Imagina se seremos submissas aos nossos maridos? Que idéia, essa! Aprendemos que a nossa felicidade está dentro de nós. Tem um monte de filosofia ensinando como ser feliz por você mesma. Ai que maravilha: nossos problemas serão resolvidos sem depender de homem algum. Durante certo tempo até que dá certo, mas depois o tempo vai passando e começamos a ver que esta folosofia de vida, não tem respostas pra tudo. (Continua em próximo post)


segunda-feira, 26 de julho de 2010

Dia 13 - Pegue uma Missão da FLY


Dividi minha casa em zonas, conforme o método FLY nos orienta. A minha casa ficou assim: Zona 1: Escada, área de serviç, quintal e sala de ginástica; zona 2: Cozinha, copa e despensa; zona 3: Banheiro social, quarto de Gabri e Banheiro de Serviço; zona 4: Escritório e quarto de casal; zona 5: Sala, corredor e terraço.
Para que durante o mês eu possa “voar” por todos os cômodos, divido o mês para cada zona: do dia primeiro do mês até a primeira sexta feira, é a zona 1; 2ª semana (segunda feira a sexta feira), zona 2; 3ª semana, zona 3; 4ª semana, zona 4 e, a zona 5 da última segunda feira do mês até o ultimo dia do mês (30 ou 31).
No início, eu esperava receber do grupo as Missões do dia para realizar. Mas com o passar do tempo fui vendo que eram repetidas e que desta maneira não daria para eu limpar todos os móveis da minha casa. Não condizia com a minha realidade. Então fiz minha própria Lista de Limpeza Detalhada de cada cômodo com tudo que tenho que limpar. E conforme a semana do mês (1ª, 2ª, 3ª 4ª ou 5ª) sei em qual Zona estou e vou fazendo as tarefas e marcando o que já foi feito.
Gasto apenas 15 minutos nas tarefas. Têm atividades que eu consigo fazer em questões de minutos, mas têm outras que não. Então eu marco 15 minutos e faço o que for possível dentro deste tempo. Para as tarefas que consigo finalizar com pouco mais de 15 minutos, eu concluo, mesmo passando deste prazo. Para aquelas que demandam muito tempo, eu divido 15 minutos todos os dias até que seja finalizada.
Essas listas passam por alterações quando eu me desfaço ou adquiro algum móvel. Desta maneira eu passo por todos os cômodos, móveis e cada cantinho da minha casa.
Não sou contra as Missões do grupo, mas que elas sejam até você adquirir experiências para elaborar sua própria lista de limpeza detalhada. É fácil: pegue um papel e uma caneta e vá cômodo por cômodo anotando tudo o que tem ali: desde o teto, luminárias, quadros, móveis, objetos, etc..
O legal é que a gente passa a ter controle sobre tudo o que foi feito ou deixou de ser feito.
Sábado e domingo não faço as missões. Deixo esses dias livres para mim.

domingo, 18 de julho de 2010

A Verdadeira Cor da Vida


Um dia estava eu indo ao trabalho, e levava minha filha junto comigo, pois ela não tinha aula neste dia. Quando passávamos pelo muro do Quartel da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo, ela observou que o muro havia sido pintado. Perguntei como ela sabia disso. Ela me falou que ano passado, quando ia comigo todos os dias, pois ficava na creche da Instituição onde trabalho, o muro era cinza e agora estava da cor azul. Então eu fiquei pensando: como eu não tinha percebido isso antes? Eu passo pelo mesmo trajeto todos os dias quando vou e volto do trabalho, por economia de combustível e tempo. Precisou de minha filha me chamar atenção para um fato que tava na minha cara, inclusive tem um semáforo ao lado deste muro e muitas vezes pego sinal vermelho e paro o carro. O muro realmente estava com uma cor nova e eu não havia notado até então.

E ai, fiquei pensando: como que muitas vezes a gente age mecanicamente, e não notamos algo que sempre esteve ali, até que um belo dia alguém nos desperta e começamos a enxergar de outra maneira. Sempre li a Bíblia. Desde quando comecei a ler (aos seis anos de idade). Muitas vezes lia sem saber o que estava lendo e não entendia patavina. Cansada de não “enxergar” nada de novo nas minhas leituras bíblicas, este ano tomei uma decisão: não leria a Bíblia. Se fosse pra ler da mesma maneira que sempre li, não leria. Só estava perdendo meu preciosíssimo tempo.

Resolvi então “estudar” a Bíblia. Não estou fazendo Teologia não. Estou estudando em casa mesmo. Procurei alguns sites que ensinam como fazer estudos bíblicos, comprei um fichário para fazer anotações e uma Bíblia para estudos, está aqui ó:
  
Comecei fazendo um estudo sobre mulheres, pelo simples fato de ter tudo haver comigo, né. Retirei este estudo também da internet. Tem uma infinidade de sites com estudos sobre mulheres. Confesso que estou a-d-o-r-a-n-d-o. Cada dia estudo um pouquinho. Está tão bom que fico só aguardando a noite chegar para me fechar no quarto e fazer meus estudos.

Muitas vezes leio apenas um versículo, ou um capítulo. Mas pra mim, mais importante do que a quantidade, é a qualidade. Pra que eu ler vários capítulos de vez sem entender nada? Não tem sentido. Agora, procuro entender o que cada palavra quer dizer. Quando não entendo, procuro em dicionários, leio os comentários e também faço consultas na Inter. Tem muita coisa: boas e ruins. A gente tem que saber filtrar. Então faço minhas anotações. Estou engatinhando nos meus estudos. Pequenos passos. Aprendi isso no FLY, um passo de cada vez.

Agora estou notando algumas coisas interessantes que não notava antes. Os escritos da Bíblia sempre estiveram ali, não mudou. O que pode ter mudado é apenas algumas versões com termos mais fáceis pra gente compreender, mas seu teor é o mesmo. Foi preciso o Espírito Santo de Deus chamar minha atenção para essas coisas. Comparando com a história do muro que contei no início deste artigo, é como se o muro fosse a Bíblia, sempre esteve ali e eu não notei, mesmo passando por ele diversas vezes (lendo), precisou de minha filha me chamar atenção pra eu notar a mudança da cor. Comparo a atuação da minha filha, com a do Espírito Santo, chamando minha atenção para os detalhes. Mas porque não observei que o muro mudou de cor? Porque a Bíblia, agora para mim tem outra “cor”?

R.: Não observei porque eu estava preocupada com o trânsito, eu não podia desviar o olhar, o fluxo tinha que seguir. Não notei a bíblia pelo mesmo motivo: eu estava preocupada com o trânsito da vida: tinha que seguir, tinha que ler. Pra eu notar que o muro havia sido pintado eu tive que diminuir a velocidade do carro. Comecei a ver algo novo na bíblia quando diminui a velocidade (da leitura e de tarefas, dedicando na minha agenda diária um tempo para isso) e parei para me concentrar nos detalhes (que fazem a diferença).

Não tenho nada contra as leituras anuais da bíblia se estas são de fato boas para alguém. Para mim, em particupar, não funcionou. Simplesmente ler as letrinhas, não foi o bastante para mim. Qualquer um pode ler. Desde que saiba juntar B com A e fazer BA. De que adianta correr na leitura para dizer no final do ano que leu a Bíblia toda se não entendeu uma só palavra?

Quero chegar ao fim do ano e falar que li um ou outro livro da Bíblia, mas que esta leitura mudou a cor do meu mundo: de cinza pra azul.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Dia 12 - Delete os Emails da FLY Lady






(Foto da Internet) 

Recebemos uma infinidade de e-mail todos os dias. Nem sempre temos tanta disponibilidade em ficar diante do computador lendo todas as mensagens. Até que eu gostaria, mas o dever me chama.

Engraçado é que recebo muitas mensagens do tipo: estou com a pia cheia de louças pra lavar, casa pra varrer e não consigo sair da frente do computador, me ajudem!. É difícil mesmo. Às vezes dizemos que vamos entrar só um pouquinho para apenas ver nossos e-mails e, quando vemos estamos navegando em altos mares na inter. Ficando fácil de nos afogarmos em tarefas não concluídas.

A resposta para não se entreter no computador é: domínio próprio. Temos que dominar nossos horários, nossos tempos. Marcar no time e quando ele tocar, sair mesmo da frente da tela e fazer aquilo que temos pra fazer.

Mas e quando as tarefas se acumulam? Delete também. Fica difícil fazer as tarefas que ficaram pra trás porque não teve tempo? Delete. Semana passada tive que deletar algumas coisas. Precisei sair para resolver algumas questões, e não tive tempo de retirar o pó dos móveis. Eu gostaria de ter feito todas as coisas, mas não foi possível. Tive que priorizar algumas coisas e a poeira dos móveis foi deixada de lado. Aquilo me incomodou? Lógico. Como eu gostaria de ter tido tempo para fazer tudo! Simplesmente não fiz, não houve como. Não posso me rasgar em duas. O que faço então? Deleto. Não dá pra ficar com isso na cabeça. Deu? Tudo bem. Não deu? Bola pra frente. Faço esta semana, normalmente, como se nada tivesse acontecido.

Tenho que conscientizar-me que nem tudo pode ser do jeito que eu gostaria que fosse.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Homem x Serviço Doméstico


Malabarismo II (continuação)


5) Não critique em hipótese alguma. Cada um tem seu jeitinho. Se ele faz alguma tarefa do jeito dele, o máximo que faço é, sutilmente, dizer que de tal forma poderia ficar diferente (não melhor). Nunca dou a entender que estou ensinando alguma coisa. Porque os homens adoram ensinar, nunca ser ensinados. Imagina se ele resolve não me ajudar mais porque recebe muitas críticas e eu nunca fico satisfeita com o que ele faz? Vai deixar tudo para eu fazer sozinha. Num pode não. Qualquer coisa é melhor que nada;

6) Elogie sempre. Não sou a dona sabe tudo. Tem coisas que ele realmente faz muito melhor que eu. E para que sua performance continue de vento em popa, ele precisa de elogios. Então, não poupo. Não me faço de rogada. Falo mesmo que tal coisa não dou conta, mas, que ele arrebenta;

7) Respeite seus limites. Serviço de casa é chato e nojento. Ningúem gosta. Nem meu marido. Deixo-o escolher as tarefas que mais lhe agrada. Porque assim, pra mim, é menos uma coisa a fazer;

8) Respeite seu tempo. Cada um tem seu próprio tempo. Quando solicito ajuda, sei que dificilmente vai ser imediata, então, dou tempo ao tempo, ou seja, se quero logo, peço ontem. Se puder ser para amanhã, peço hoje. Não coloco pressão, principalmente se ele está assistindo ao futebol. Sei que na melhor das hipóteses só vai sair da frente da TV depois dos comentários após o término do jogo. Isso se o jogo não for do Flamento (rs). A pior coisa é você deixar de fazer algo que te dá prazer pra cumprir uma obrigaçâo;

9) Apreveite suas qualidades físicas. Sou baixinha e Osmar é alto. Então decidimos: limpezas que envolvem partes altas são por conta dele. Sou mulherzinha e fraquinha, ele Homem (com aga maísculo) e fortão: tudo que envolve força é com ele.

Como falei no início desta série de artigos, não deixe de comentar seus “truques” para obter ajuda de seu marido no trabalho doméstico. Todos ficaremos gratos.

No próximo post, continuarei falando sobre os 31 passos FLYs.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Homem x Serviço Doméstico (continuação)




Malabarismo


Após alguns anos de casada a gente vai conhecendo nosso cônjuge, adquirindo maturidade e consciência que nem tudo é mudado da noite para o dia. Aprendi alguns “truques” que têm funcionado aqui em casa e, na medida do possível tem dado certo. Compartilho com vocês:

1) Mude suas atitudes. É aquele ditado: incomodados que se mudem. Não troquei de marido não (rs). Durante muito tempo tentei mudá-lo e não consegui. Então cheguei, às duras penas, à conclusão de que quem tinha que mudar era eu, já que a situação incomodava somente a mim. Pra ele tava tudo muito bem: pra que mudar alguma coisa? Time que está ganhando não se mexe, não é o que dizem? Passei a policiar minhas atitudes em relação ao serviço doméstico. Não adiantava dar “piti” porque a pia estava lotada de louças sujas. Isto incomodava somente a mim, e não a ele. Acho que quando eu rodava a baiana por causa disso ele deveria imaginar: “coitada, pirou! Porque tanto estardalhaço por causa de algumas louças sujas se eu nem tenho nada haver com isso?” E no final da história, só eu me irritava e as coisas continuavam do jeito que estavam;

2) Converse. Sem discussão. Num momento em que o clima era de harmonia, falei com ele que eu precisava de sua ajuda. Somos só ele e eu, já que Gabri ainda não tem idade nem maturidade suficiente pra realizar certas tarefas domésticas. Pois estava muito difícil para mim. É claro que ele não topou a idéia de imediato. E de vez em quando tenho que novamente ter a tal da “conversinha”, mas nunca num momento de estresse, raiva ou briga. Nós, mulheres, temos que ser sábias e aprender quando e como falar, mesmo que estejamos com a razão;

3) Não discuta. Minha prioridade como mulher é meu relacionamento com meu cônjuge e não as tarefas domésticas. Aprendi a não brigar quando delego tarefas para ele e ele não cumpri. Simplismente deixo pra que ele faça quando quiser ou então, eu mesma faço quando puder, sem  murmuração.

4) Faça você mesma. Tem certas coisas que gosto que sejam feitas de determinada maneira, então, procuro não delegar esta tarefa, pois sei que não vai sair como eu espero. Então eu mesma faço;
 (Continua no próximo e último post sobre o assunto)

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Homem X Serviço Doméstico

                                                                                                        (foto da Internet)

E agora, Mané?


Pra eles, está tudo muito bom. Eles nunca tiveram a pretensão de “tomar” conta de uma casa. Só porque as mulheres “quiseram” sair de casa pra trabalhar, não significa que o homem também fez ou faz questão de ficar em casa fazendo as tarefas que anteriormente eram de responsabilidade somente dela. E ai vem o dilema: como fazer seu marido ajudar na tarefa doméstica. Ficamos discutindo, brigando e implorando, pelo amor de Deus que nossos maridos nos ajudem no serviço de casa.

As mulheres da época de minha avó (primeira geração) nem se quer cogitava a possibilidade em trabalhar fora de casa. Cresci, vendo minha mãe e minhas tias (segunda geração) trabalhando fora e tendo que se viravem para dar conta das tarefas da casa. Tanto meu pai, quanto meus tios, também trabalhavam fora, mas não tinham a “obrigação” com a casa: faziam aquilo que queriam e quando queriam e ainda achavam que faziam muito. E por incrível que pareça minha irmã, cunhadas e eu (terceria geração) estamos indo pelo mesmo caminho que o da segunda: jornada dupla. Espero que as mulheres da geração da minha filha (quarta geração) possam ser diferentes.

Trabalho meio período fora de casa e no outro dentro de casa. Sou eu a responsável pela administração doméstica: o que fazer, quando fazer, como fazer, e fazer. Tenho a ajuda de meu marido. Eu disse: a-j-u-d-a. Tudo é por minha conta. Mas como não sou de ferro, nem mulher maravilha, sempre que posso, recorro a ele e delego tarefas. Nem sempre ele faz de bom agrado, na maioria das vezes faz reclamando, mas faz (ainda bem).

No meu ponto de vista, acho que não háveria necessidade alguma de ficarmos discutindo sobre “como fazer nossos maridos ajudarem nas tarefas domésticas”, porque tá na cara que eles tinham que ajudar mais, afinal de contas eles foram muito beneficiados com nossas "gentilezas" em ajudá-los financeiramente. É uma questão de desconfiometro. (Continua no próximo post)

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Homem X Serviço Doméstico III

(fodo da Internet)


(Continuação do post anterior Guerra dos Sexos)
A dolorosa verdade


Mas a triste realidade é que: ela continua a ser a única responsável pelo serviço doméstico. Divide tudo igualmente com seu marido, menos o trabalho de casa. Se não coloca literalmente a mão na massa, tem que arranjar quem o faça (diarista ou mensalista) e supervisionar. O marido pode até pagar uma pessoa para ajudá-la em casa, mas quem vai passar o serviço para a empregada, supervisionar, cobrar e verificar o andamento das tarefas, ainda é a mulher, ou seja, depois de todos esses anos, com todos os “avanços” que a mulher acha que conseguiu sobre o machismo a verdade é que: o serviço doméstico ainda é tarefa única e exclusiva da mulher.

A mulher pode chorar e espernear, mas é esta a verdade. E ai, pergunto-me: o que a mulher ganhou com a luta feminista? Tudo bem, não vou ser idiota em achar que o mal do século está no feminismo, teve sim o seu lado positivo: econômicamente, a mulher ficou independente, passou a ser alguém na sociedade tendo direito a votar e ser eleita, e outras coisas mais. Mas e dentro de casa? Qual foi a vantagem? Mais trabalho! É, poque agora, além dos serviços da casa, ela ainda trabalha fora, ajudando o marido a sustentar a casa. Então, no meu ponto de vista quem levou grande vantagem são os homens (mais uma vez): ele não precisa mais correr como louco atrás do ganha-pão para a família, porque tem a ajuda financeira da mulher. Ele não precisa mais “sustentar” sua esposa, porque ela tem seu próprio dinheiro. Facilitou muito pra ele. E ela? Jornada dupla, tripla, e por ai vai.

Agora, nós mulheres estamos sentindo na pele o resultado das ilusões feministas. Ficamos frustradas porque nos trouxe confusão de papéis que achávamos ter solucionado. Acontece que enquanto invadiámos a “área” deles, eles ficaram olhando, sentados, vendo o que acontecia, não fizeram nada. E mesmo vendo nossa “área” deserta, porque fomos para a invasão, eles não contra-atacaram, ou seja, eles não invadiram nossa área. Resultado: mantivemos nossa área e ficamos com a deles. E agora temos que dar conta de “governar” as duas e, como isso é difícil, queremos dividir com eles nossa “área” já que dividimos a deles. Acontece que o serviço doméstico é tão ruim que ninguém quer: nem o homem nem a mulher. Mas é necessário. Afinal, queremos viver num lar limpo, organizado e estruturado. (Continua no próximo post)

terça-feira, 29 de junho de 2010

Homem X Serviço Doméstico II

(Foto da Internet)

Guerra dos Sexos
Continuação do post anterior: A mulher consciente (e não satisfeita) na sua função

Crescemos então, erguendo a bandeira do feminismo, sem mesmo saber o que seria ou para que servia. Foi imposto em nossa mente, através de revistas, livros, filmes, novelas (mídia em geral), a necessidade de independência. O feminismo trazia promessas de felicidades e que tudo seria resolvido. Porque estarmos “vinculada” a um homem? Pensamos por conta própria e temos nossa própria opinião. Somos inteligentes tanto quanto os homens, portanto, somos iguais. Vamos invadir sua praia! Machistas, cuidado com as feministas porque viemos pra arrebentar, e não estamos de brincadeira.

De agora em diante vamos “lutar” de igual para igual com vocês e com as mesmas armas. Você é médico? Eu também sou? Você é motorista? Eu também posso ser. Você vai à lua? Eu também vou. Você tem liberdade sexual sem medo de engravidar? Eu também. Os contraceptivos estão ai pra isso. Pra dizer a verdade, acho que sou até mais que você, porque eu posso carregar outra vida dentro de mim e você não. Só necessito de você para reprodução, se eu tiver vontade em ser mãe (produção independente).

Achávamos que tínhamos feito uma grande descoberta! A felicidade da mulher não estava em criar filhos e cuidar da casa. Descobrimos, erradamente, que a felicidade da mulher estava em ter sua vida econômica independente. Não fui criada como a minha avó que acordava e dormia somente dentro de casa atolada em filhos e serviços domésticos. Sou fruto, assim como você, da lavagem cerebral feita fortemente em minha mente.

Na minha geração, a mulher tem outros sonhos e pespectivas. Ela passa a estudar mais para conseguir um bom emprego e trabalhar fora para dividir com o marido as despesas de casa, uma vez que pode ganhar quase ou até mais do que seu marido recebe por mês. Pois fomos criadas pensando que somos iguais aos homens. (continua no próximo post)

segunda-feira, 28 de junho de 2010

HOMEM X SERVIÇO DOMÉSTICO

(Foto tirada da internet)


A mulher consciente (e não satisfeita) na sua função

Se existe uma coisa chata, é o serviço doméstico. Aliás, qualquer trabalho é ruim, num é bom. Bom mesmo é ficar de pernas para o ar, fazendo o que der na telha, só curtindo o que dá prazer. Tem certas espécies que sabem fazer isso muito bem: os homens.

Você já parou pra pensar como é difícil ao homem, se responsabilizar pela tarefa doméstica? Qualquer atividade que a gente delegue pra eles, se envolve serviço de casa eles escorregam direitinho. Mas se não está relacionada a atividades domésticas até que o negócio sai.

O papo de hoje é: como envolver seu marido na rotina de serviços domésticos. Então, se você tem alguma idéia, não deixe de comentar no final do meu artigo, pois, para nós, mulheres modernas, é muito importante sua contribuição.

Digo mulher moderna porque este papo num rolava na época da minha avó. Ela não tinha dúvida se eu perguntasse quem era responsável por lavar, cozinhar e arrumar a casa. Sem pestanejar responderia que era ela. Ela nunca esperaria que meu avô pegasse em um cabo de vassoura para varrer a casa, depois de ter pêgo num cabo de enxada durante todo o dia na lavoura.

Assim eram os casais daquela época. Cada um no seu quadrado. Todos consciente do seu papel de acordo com o sexo: Mulher – responsável pela organização da Casa; Homem: responsável em manter financeiramente a família. Tava tudo muito bem dividido e esclarecido. O lado bom era que não tinham esse tipo de discussão dentro de casa: A mulher: - Tô cansada de lavar louças depois do jantar, hoje é a sua vez. E o marido responde: - Eu não vou lavar não. Então a mulher rebate: - A vai sim, eu não sou escrava, eu trago dinheiro pra casa igual a você. E ai, o marido não lava por que se sentiu ofendido pelo que a esposa disse. E ela com raiva e murmurando vai pra pia depois de um dia inteiro de trabalho na rua. A discussão começa e todos falam o que não queriam e se ofendem. E é mais um, dentre tantos, conflitos já instalado no casamento. (qualquer semelhança não terá sido mera coincidência, este diálogo de fato aconteceu diversas vezes entre meu marido e eu.)

É certo que o machismo não valorizava a mulher. Pelo simples fato dela ficar somente em casa cuidando da família, não tinha também direito a nada. Voz, voto, vontade própria, decisões, e por ai. Ou seja, a mulher existia somente através de seu marido. O que poderia lutar de igual a igual com o machismo? Acho que daí nasceu o feminismo, uma tentativa (frustrada) de lutar contra o machismo, há muito instalado na nossa sociedade. (Continua no próximo post)

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Adicione uma Página de Inspiração para seu Control Journal

Nem tudo são flores e nem sempre estou com disposição para tarefas domésticas. Penso que todos nós nos movemos através de incentivos: sejam eles físicos ou emocionais. Preciso acreditar em alguma coisa que possa me convencer a continuar na minha luta e rotina diária.

O que mais me motiva é ver as pessoas que amo bem. Não tem dinheiro no mundo que compense a felicidade e o bem estar da minha família. Sinto que sou a “regente” desta orquestra: meu lar.

Na primeira página do meu C. J. coloquei um texto que fiz me incentivando, mesmo nos dias desanimadores, a continuar no meu papel de harmonizadora do meu lar. Compartilho aqui com vocês:

Se  o Senhor não edificar a minha casa, em vão será o meu trabalho.


Por isso peço a Deus todos os dias que o seu infinito amor possa inundar a minha casa a tal ponto de transbordar. Que meu esposo, mesmo não crendo, seja tocado por mim, que creio. E que nossa filha também seja abençoada através de minha vida.


Que o Espírito Santo e seus frutos sejam bem vindos em minha casa porque eu e minha família servimos a Deus.


Que eu seja a mulher descrita em Provérbios 31 para que todos os dias ao me levantar eu possa providenciar um lar amoroso e cuidar daquilo que o Senhor preparou para mim: meu esposo dedicado à família, Osmar, amor da minha vida, e, Gabriela, fruto do nosso amor.


Regi Marino

Toda vez que estou desanimada em continuar minha jornada, leio isto e me sinto como se tivesse tomado uma injeção de ânimo, pois tenho uma missão a cumprir: fazer felizes àqueles que amo.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Minha Lista de Limpeza Detalhada

Para quem não conseguiu abrir o link na postagem anterior, deixo aqui minha lista de limpeza detalhada que tenho no meu C. J..

terça-feira, 15 de junho de 2010

Você pode fazer qualquer coisa em 15 minutos


Isso é verdade.

A pior coisa é o perfeccionismo. Ele nos limita. Ou você faz o melhor ou você não faz nada.

Durante este período aprendi que pouco pode ser muito. Engraçado, né? Mas é a pura verdade. Imagina um cofrinho. Se você nunca colocar nenhuma moedinha lá dentro, vai chegar um determinado dia que não terá nada lá dentro. Agora se todos os dias você coloca no mínimo uma moedinha, no final de um determinado período você terá uma graninha economizada. Pode não ser muito, mas se você comparar com o primeiro cofrinho, que não tem nada, faz muita diferença.

Na organização doméstica é a mesma coisa. Tem tarefas que não dá para serem finalizadas com um prazo curto de tempo. E vou falar a verdade: não tenho tanto tempo assim para realizar tal tarefa que demanda disponibilidade. Tenho que dar conta de muita coisa durante o dia, e muitas vezes, na maioria das vezes, tenho que realizar várias tarefas ao mesmo tempo. (E a hora que me arrependo de não ter nascido polvo. rs). Então tenho que tomar uma decisão: faço ou não faço.

Se opto por não fazer, tenho a consciência que vai continuar como está. Agora se opto por fazer, sei que não tenho condições de fazer tudo de uma vez, então, entra a regra dos 15 minutos.

De 15 em 15 minutos por dia a tarefa que poderia não ser feita, é realizada. Sei que o resultado final demora, mas acontece, e isso é o que interessa. Sabe aquele ditado popular: antes tarde do que nunca? É por ai.

Quando vou organizar minha casa, faço primeiro minhas rotinas diárias: hot spot, limpeza expressa no banheiro, juntar o lixo, colocar a máquina de lavar roupa pra funcionar, varrida e mop na casa. Depois eu passo para as rotinas semanais: bênção do lar (dividida de segunda a sexta feira); limpeza da geladeira na quarta feira; limpeza dos sapatos na sexta feira, etc.. Depois passo para a rotina mensal: tenho minha lista de limpeza detalhada de cada cômodo da minha casa. Cada dia da semana estou numa zona ou cômodo e cada dia tenho uma tarefa a cumprir. Aqui está
Minha lista de limpeza detalhada

Nestas listas têm atividades que eu consigo fazer em questões de minutos, mas têm outras que não. Então, para essas, eu marco 15 minutos e faço o que for possível dentro deste tempo. Tem tarefas que consigo finalizar com pouco mais de 15 minutos, então eu termino, mesmo passando deste prazo. Já têm outras que não dá. Eu teria que ter muito mais tempo para concluir. Então vou dividindo 15 minutos todos os dias até que seja finalizada.

Não. Não é o ideal, mas foi o jeito que encontrei para conjugar meus afazeres de dona de casa, mãe, esposa, mulher que trabalha fora de casa, igreja, etc, sem ter que lançar mão de ajuda de terceiros.

Um pouquinho por dia.

domingo, 6 de junho de 2010

Declutter: Sacola Amarela


Eu tenho uma sacola de cor amarela que fica no escritório aqui em casa, assim que vejo que um determinado objeto não tem mais valor pra mim eu o jogo ali. Quando minha mãe, irmã ou cunhadas vêm aqui em casa elas dão sempre uma olhadinha, pois pode ter alguma coisa de que elas precisem ou queiram.


- Vou vertir uma roupa em Gabriela e vejo que não dá mais, pois ela cresceu: sacola amarela;

- Ganhei do chefe uma bandeja de escritório nova e bonita. O que faço com a velha? Sacola amarela;

- Comprei um tênis novinho que Osmar usou apenas uma vez, não gostou e num dá mais pra trocar? Sacola amarela.

Quando a sacola está cheia eu levo para o Templo onde me reuno como Igreja, pois lá tem um projeto social que faz doações a famílias com baixo poder aquisitivo.

Muitas vezes essas tralhas vêm até nossa casa por nossas mãos. Somos nós mesmas que entulhamos nossas casas de tralhas. Quantas vezes comprei objetos sem utilidade alguma! Quantas vezes comprei objetos porque era “bonitinho” ou “baratinho”! Quantas vezes comprei coisas que já tinha dentro de casa e eu nem sabia! Essas lojas de 1,99 (que de 1,99 não tem nada) são uma tentação. Eu entrava lá e saia cheia de tranqueiras, levava pra casa e não sabia nem onde colocar.

Aprendi no FLY a ser seletiva nas minhas compras. Isso é bom porque ataca dois coelhos com uma cajadada só: livro minha casa de tralhas e economizo. Quando necessito de algo, faço uma lista e me atenho a ela. Quando passo por alguma coisa que vem a vontade de comprar penso: necessito disso ou vai ser mais uma coisa pra eu amontoar lá em casa ou mais um objeto pra eu limpar?

Quando eu tinha diarista a minha casa era cheia de objetos de decoração: porta retratos, bibelous, vasos, abajour, etc. Não era eu quem limpava e organizava. Mas a partir do momento que EU passei a cuidar pessoalmente da minha casa, fui eliminando essas coisas e ficando com o necessário e essencial: pra quê encher a casa de porta retratos? Alguns apenas são suficientes. Pra que lotar a estante da sala com quinquilharías? Fiz uma seleção e eliminei ou deixei de comprar mais coisas. Essas coisas só iam me dar trabalho para limpar e organizar, e como eu não tenho tanto tempo disponível assim, ao invés de embelezar minha casa o efeito seria contrário.

Os quadros de Gabriela que coloquei na parede (post anteriror), por exemplo: não acrescentei, mas coloquei em lugar de outros dois bem feinhos que eu não gostava. Sabe aquela coisa de entrar um objeto e sair outro? É por ai.

Um dia desses estava eu em uma festa de aniversário de criança e duas mães estavam discutindo com quem ia ficar a lembrancinha da mesa onde elas estavam. Ai uma falou pra outra: - pode ficar com você, lá em casa tá cheio de quinquilharia, eu tô precisando eliminar um monte de coisa! Então fiquei pensando, num é que é mesmo? O quê que a outra mulher tava fazendo: brigando por porcaria. Brigando pra levar pra casa mais uma coisa pra se juntar às tralhas.

Então não basta só eliminar as tralhas, temos também que nos policiarmos para não acumularmos. Ou seja cortar o mal pela raiz.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

DECLUTTER

Somente um psicólogo, psiquiatra, antropólogo ou um profissional da área de Humanas para diagnosticar com clareza porque acumulamos tralhas. Será necessidade? Afeição? Medo do amanhã? Outras coisas ou tudo isso junto? Juro que não sei.

Clutter significa tralha, “aportuguesando” a palavra, Declutter então é destralhar, ou seja, limpar o ambiente, retirar o que não presta ou o que não tem mais uso e dar um destino a eles.

Eu sabia que meu guarda roupa, escrivania, armário de cozinha, estante da sala e outros móveis aqui de casa estavam precisando de declutter. Mas e a coragem para encarar o trabalho que seria? Aprendi que eu poderia fazer pequenos pedaços por vez. Não precisava fazer tudo em um único dia. Assim, cada semana pegava um cômodo da casa e ia decluttando parte por parte de um móvel.

Quando iniciei no FLYlady aprendi sobre declutter. Durante alguns dias fiz um mega super grande declutter aqui em casa. Já falei disso em posts anteriores.

Durante muito tempo eu tentei arrumar aquilo que não tinha arrumação. Explico: tralha não se arruma, não se organiza. Se você não der um fim a ela, você vai ficar mudando a bagulhada de um lado pra outro. Como num círculo, que não tem fim.

Não espere as tralhas acumularem para por fim a ela. Durante um dia normal como a gente tráz coisas pra dentro de casa: papel, sacolas, objetos, mercadorias e outros. E ai, se não selecionarmos, o que realmente tem necessidade de ficar, vamos acumulando, acumulando ... tralhas. Então o declutter é diário. E muitas vezes ele também pode ser feito imediatamente. Se você recebeu alguma coisa e vai ter uso: guarda para a ocasião. Se não, livre-se dele logo: jogue fora ou dê para alguém que necessita. (continua no próximo post)

terça-feira, 1 de junho de 2010

Artist Personal

Mudando um pouquinho de assunto, depois continuo os 31 passos Fly.




Hoje vou apresentar minha Artist Personal: Gabriela.

Quando ela tinha 3 aninhos fez essas pinturas na creche. Guardei para colocar em uma moldura. Guardei tão bem que esqueci. Então, arrumando algumas coisas encontrei a Obra Prima.

Emoldurei e coloquei na parede aqui em casa. E olha, num ficou devendo nada a Picasso, Debret e outros (rs).



Mãe coruja é um problema!

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Rotina Noturna

Essas é a minha Rotina Noturna: (Comentários em parênteses)




1. Início: 18:00: Preparar ou aquecer o jantar; (normalmente tenho sempre comida congelada, só faço o jantar na quarta, pois faço várias porções e congelo para a semana)

2. Colocar ou dar banho em Gabri; (agora ela já toma banho sozinha, mas tenho que supervisionar e tirar ela do banho porque se não a água vai toda embora)

3. Dar o jantar para Gabri; (ela é muito ruim de comer, se eu não colocar na boca dela e insistir, ela não come)

4. Jantar; (Osmar e eu)

5. Preparar os lanches (Gabri e meu) para o dia seguinte; (deixo tudo pronto na geladeira, no dia seguinte, é só colocar na lancheira)

6. Preparar a mesa do café da manhã para o dia seguinte; (já fiz um post sobre isso http://eumulhermoderna.blogspot.com/2009/02/volta-as-aulas.html

7. Lavar a louça; (as terças e quintas, é por conta do Osmar)

8. Limpar o fogão; (só na quarta-feira, pois nos outros dias uso o microondas)

9. Varrer o corredor, cozinha, copa; (como já fiz isso à tarde, agora é só pra tirar uma eventual sujeira)

10. Recolher e trocar o saco de lixo do cesto da cozinha; (detesto dormir com o lixo da cozinha cheio. Troco o saco e coloco o lixo pra fora)

11. Olhar o cardápio do dia seguinte e já separar/descongelar o que vou fazer pra janta; (dou uma olhada no meu C.J. e vejo no inventário do freezer e no menu da semana o que tenho que descongelar. Coloco em uma vasilha plástica grande na parte baixa da geladeira pra descongelar. No outro dia, é só aquecer no microondas)

12. Preparar meu almoço para o dia seguinte; (faço meu prato e coloco na geladeira. Quando chego, morta de fome, é só aquecer no micro)

13. Separar as minhas coisas de levar para o serviço e as coisas de Gabri levar pra escola e colocar perto da porta de saída; (separo tudo o que tenho que levar no outro dia, bem como a mochila de Gabri. Verifico se tem que levar alguma coisa pra escola, e deixo tudo junto à porta de saída)

14. Separar uniforme de Gabri e minha roupa para trabalhar; (deixo tudo junto pra facilitar. Separo inclusive sapato, tênis e meia. Até os acessórios que vou usar e as presilhas para prender o cabelo de Gabri também deixo separados):

15. Arrumar a cama de Gabri; (Pra ela dormir)

16. Colocar Gabri para dormir; (leio a bíblia infantil com ela, oramos e deixo-aela dormir)

17. Fechar a porta e janelas; (normalmente Osmar faz isso)

18. Enxugar e guardar a louça; (deixo o escorredor de pratos livre pra Osmar usar pela manhã quando lavar as vasilhas do café da manhã)

19. Apagar os HOTSPOTS - remover e guardar tudo que não pertence ao cômodo, e recolher o que está espalhado pela casa; (sempre tem alguma coisa é incrível)

20. Escovar os dentes, passar creme e me arrumar para dormir; (é o meu momento)

21. Verificar a agenda para o dia seguinte e organizar Control Jornal; (vejo se tenho alguma coisa que não estou lembrando, e também organizo meu C.J.)

22. Fazer estudo bíblico; (orar e meditar)

23. Conversar com QM; (também posso ir pro computador ou assistir algum filme com Osmar)

24. Dormir. (no máximo às 22:00h);


Essas são minhas rotinhas. Espero ter ajudado. Faça a sua de acordo com suas atividades e necessidades.

Com o tempo vamos colocar mais coisas no C. J.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Minhas Rotinas

Rotina Matutina. (Comentário em parênteses):

1- Acordar às 06h; (Não posso acordar mais tarde do que isso porque se não, tudo atrasa e pego um trânsito infernal. Cinco minutos viram 30 rapidinho)

2- Arrumar a cama; (deixo pra Osmar)

3- Ligar água do café; (À noite, antes de deitar, já deixo a cafeteira no fogão. É só ligar o fogo e deixar a água ferver, enquanto me arrumo);

4- Ir ao banheiro e fazer higiene;

5- Arrumar para o trabalho; (minhas roupas já ficam prontas desde à noite, antes de deitar)

6- Passar café; (Quando estou pronta, é só coar o café, pois a água já ferveu)

7- Colocar o lanche (Gabriela e meu) na bolsa para levar; (Também deixo nossos lanches prontos, na geladeira. Daí, é só colocar o meu na bolsa e o da Gabri na lancheira)

8- Terminar de colocar a mesa do café da manhã; (A mesa do café da manhã já fica quase pronta desde a noite. Pela manhã eu só coloco os produtos que não podem ficar fora da geladeira: requeijão, manteiga, leite, etc.)

9- Tomar café; (Não temos muito tempo para tomar café. Tem que ser rapidinho. No máximo 10 minutos)

10- Acordar Gabriela; (É a hora mais tensa, porque às vezes ela não quer acordar e temos que ser rápidos. Então Osmar me ajuda. Cada um faz alguma coisa e dentro de 15 minutos ela tá pronta)

11- Levá-la ao banheiro para higiene;

12- Colocar o uniforme de Gabriela;

13- Colocá-la par tomar café;

14- Maquiar-me; (bem leve).

15- Sair para o trabalho;



Como Osmar não tem horário para trabalhar, depois que ele leva Gabri pra escola. Ele volta, retira a mesa do café, lava as vasilhas e arruma a cama de Gabri. Assim, quando eu chego em casa o aspecto já está melhor. No próximo posto vou colocar minha rotina noturna.

Assista a esse vídeo e veja como é aqui em casa pela manhã. Acho que essa mãe se inspirou em mim (rs):

http://www.youtube.com/watch?v=J_DJpYo0l28

Você pode gostar disso também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...